Dinamarca compra dados do Panama Papers para investigar contribuintes

Copenhague, 7 set (EFE).- O governo da Dinamarca pagou a uma fonte desconhecida para ter acesso às informações jornalísticas dos Panama Papers sobre o uso de sociedades em paraísos fiscais relacionados com contribuintes do país nórdico.

Segundo revelaram à emissora de televisão pública "DR" e ao jornal "Politiken", a fonte fez contato há alguns meses com o fisco dinamarquês para oferecer uma prova das informações, e as autoridades concordaram em desembolsar uma quantia não especificada de vários milhões de coroas dinamarquesas para ter acesso à totalidade dos dados.

"Quando chega uma oferta assim ao fisco, temos que analisá-la caso a caso. Podemos ver que entre 500 e 600 dinamarqueses estão envolvidos e acredito que o benefício que podemos apresentar ao erário é maior que a despesa de comprar as informações", declarou nesta quarta-feira o ministro de Impostos dinamarquês, o liberal Karsten Lauritzen.

Um documento enviado à comissão de Impostos do parlamento dinamarquês, do qual tiveram acesso a "DR" e o "Politiken", revela que a compra afeta 320 casos relacionados com a Dinamarca.

"Isto não são minúcias, estou convencido que será um bom negócio para a Dinamarca", garantiu Lauritzen, que espera que, em poucos meses, o fisco tenha revisado os documentos e aberto casos contra várias das pessoas que aparecem neles.

O escândalo dos Panama Papers abrange mais de 11,5 milhões de documentos do escritório panamenho Mossack Fonseca, especializado na gestão de capitais em paraísos fiscais, envolve milhares de personalidades de todo o mundo e levantou suspeitas sobre evasão de impostos, além de ter gerado duras críticas ao Panamá.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos