Bolsas

Câmbio

Cazaquistão anuncia que não reduzirá produção de petróleo

Astana, 1 nov (EFE).- O ministro da Energia do Cazaquistão, Kanat Bozumbayev, anunciou nesta terça-feira que o país não planeja pôr limites à produção de petróleo, já que pelos preços atuais as companhias não podem reduzir essa extração.

Bozumbayev afirmou que o país produz cerca de 1,5 milhão de barris ao dia, por isso não "desempenha um papel grande" na produção mundial de petróleo.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) decidiu em setembro, em reunião em Argel, limitar a produção de petróleo a 33 milhões de barris ao dia, mas não especificou o limite aplicável a cada país da entidade.

A Opep, é integrada por 14 países produtores mundiais de petróleo, mas o Cazaquistão não pertence a essa organização.

"Inauguramos Kashagan há apenas um mês. Não planejamos limitar sua produção devido aos muitos investidores que investiram aqui", explicou Bozumbayev durante uma entrevista coletiva.

Mesmo assim, o ministro afirmou que o país - que possui 3% das reservas mundiais de petróleo - sofreu uma redução natural de produção em seus jazidas.

"Devido aos preços atuais, as companhias petrolíferas não podem manter a produção. Necessitam perfurar e perfurar (mais poços). Por isso, achamos que não podemos impor um limite à produção de petróleo. É prematuro", disse o ministro.

A produção de Kashagan, a maior descoberta de petróleo do mundo nas últimos anos, está sendo operada pelo consórcio Norte Caspio Cooperativo, formado por sete empresas: KazMunayGas, Eni, ExxonMobil, Royal Dutch Shell, Total, Corporação Nacional de Petróleo da China e Inpex.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos