Bolsas

Câmbio

Apple e Samsung enfatizam defesa da segurança após vazamento do Wikileaks

Washington, 8 mar (EFE).- Apple e Samsung reafirmaram nesta quarta-feira o "compromisso" com a privacidade dos usuários diante do grande vazamento de documentos do Wikileaks, que descrevem um suposto programa secreto de hacking da CIA destinado a invadir smartphones e computadores conectados à internet.

"Embora nossas análises preliminares indiquem que muitos dos assuntos vazados já foram consertados na última versão do sistema operacional iOS, continuaremos trabalhando rapidamente para enfrentar as vulnerabilidades identificadas", afirmou a Apple em comunicado divulgado pela portal tecnológico "TechCrunch".

A fabricante ressaltou que "está profundamente comprometida com a proteção da privacidade e a segurança dos clientes" e pediu aos usuários que "sempre baixem as últimas atualizações" para garantir o maior nível de proteção.

O Wikileaks afirmou que os documentos revelam que a CIA conseguiu driblar os protocolos de segurança de várias empresas e produtos da Europa e dos Estados Unidos, como o iPhone e o sistema operacional Android.

Os documentos também mencionam os televisores da Samsung, que podem se transformar em microfones encobertos mediante um software supostamente elaborado pela CIA em parceria com o MI5, o serviço de contra-espionagem do Reino Unido.

A empresa sul-coreana também se manifestou sobre essas revelações e ressaltou que é uma "prioridade proteger a segurança e a privacidade dos aparelhos" e afirmou que vai "investigar de maneira urgente estas questões".

O Google ainda não fez comentários a respeito do suposto caso de espionagem nos telefones que utilizam o Android como sistema operacional.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos