FMI elimina promessa de lutar contra protecionismo

Washington, 22 abr (EFE). - Os países-membros do Fundo Monetário Internacional (FMI) se comprometeram neste sábado a trabalhar para acabar com as "desigualdades" do comércio mundial, mas retiraram a promessa de lutar contra o protecionismo, uma ideia que tinham mantido nas reuniões anteriores.

Tal compromisso não aparece no comunicado final que marca o fechamento da reunião deste trimestre do FMI e do Banco Mundial (BM), apesar de ele ter aparecido nos textos prévios, como o divulgado após o encontro de outubro do ano passado.

"Tentamos fazer um balanço construtivo e o significado da palavra protecionismo é muito ambíguo. Por isso, o eliminámos de diferentes seções do comunicado", explicou aos jornalistas o presidente do Comitê Financeiro e Monetário do FMI, Agustín Carstens.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos