Presidente da Mapfre pede atuação de empresas na relação Brasil-Espanha

São Paulo, 24 abr (EFE).- O presidente da seguradora espanhola Mapfre, Antonio Huertas, assegurou nesta segunda-feira que as empresas de Brasil e Espanha têm a "obrigação" de impulsionar as relações comerciais bilaterais e superar "a falta de conhecimento mútuo" que existe entre os dois países.

"Temos a obrigação de impulsionar as relações entre ambos os países. O Brasil precisa da Espanha e a Espanha do Brasil. E este fórum é muito importante para garantir o desenvolvimento das relações", afirmou Huertas na abertura do I Fórum Espanha-Brasil, realizado em São Paulo.

O presidente da Mapfre disse à Agência Efe que Espanha e Brasil são dois países comercialmente estratégicos, pois o primeiro "é a porta da Europa" e o segundo é "um continente por si só" por sua grande população, que supera as 200 milhões de pessoas.

Não obstante, Huertas comentou que "falta conhecimento mútuo", apesar do "interesse" das duas nações em expandir sua malha empresarial.

"À Espanha falta conhecimento sobre o Brasil e vice-versa", disse o empresário, que preside, além disso, a Fundação Conselho Espanha Brasil, uma entidade privada sem fins lucrativos que tem como objetivo fomentar a cooperação econômica, comercial, científica, tecnológica, cultural e acadêmica entre ambas as nações.

Quanto ao mercado de seguros, Huertas apontou que a penetração do setor no Brasil, onde a Mapfre opera há 26 anos, ainda é "pequena" porque a população do país é "jovem" e "ainda não compra seguros".

"As companhias têm que ser mais inovadoras e criar novos produtos para eles (os jovens) aproveitando assim o bônus de população", acrescentou.

Durante o I Fórum Espanha-Brasil acontecerão três mesas de debate que analisarão as possibilidades de incrementar as relações bilaterais, a nova economia digital e a política protecionista frente ao livre comércio.

Por sua vez, o presidente da brasileira Alpargatas, Márcio Utsch, disse em seu discurso que o Brasil tem que estar presente na Espanha porque até hoje as empresas espanholas criaram mais de 214 mil empregos diretos e 210 mil indiretos no Brasil, números muito distantes dos das companhias do país.

O evento será encerrado pelo presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, que nesta manhã foi recebido por Michel Temer em Brasília para uma visita oficial de dois dias.

De acordo com dados oficiais, a Espanha é o segundo maior investidor no Brasil, com capitais acumulados que chegaram a quase R$ 200 bilhões em 2016. Além disso, o Brasil é o terceiro maior destino dos investimentos diretos espanhóis no mundo.

Por outro lado, a balança comercial entre os dois países chegou no ano passado aos R$ 16,25 bilhões.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos