Bolsas

Câmbio

Recuperação do Brasil pode ser ameaçada por incerteza política, diz OCDE

Paris, 7 jun (EFE).- A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) alertou que a tímida recuperação iniciada pelo Brasil em 2017 está ameaçada pela incerteza política vivida pelo país, que assiste nos últimos dias o julgamento do Tribunal Superior Eleitoral que pode cassar o mandato presidente Michel Temer por irregularidades na campanha de 2014.

Em seu relatório semestral de perspectivas, a OCDE alertou que "a incerteza política associada às recentes suspeitas podem representar significantes riscos para o crescimento". A entidade, no entanto, não citou em nenhum momento o nome de qualquer político do país.

Apesar das advertências, a projeção da OCDE elevou as projeções de crescimento da economia brasileira em relação aos cálculos elaborados no início do ano. Segundo o órgão, o Produto Interno Bruto (PIB) do país vai avançar 0,7% neste ano. Para 2018, a expectativa é expansão entre 1,2% e 1,6%.

A recuperação é atribuída ao controle da inflação, ao aumento da exportação, citando especialmente a última safra de grãos, e a uma maior demanda interna, entre outros fatores.

A OCDE prevê que a inflação no país cairá de 8,6% em 2016 para 4,2% em 2017. No próximo ano, a projeção é de um índice de 4,5%. Para a organização, a queda poderá representar um fôlego para as empresas, por abrir espaço para que elas diminuam o custo de seu financiamento.

O relatório também mostra a preocupação que o Brasil não consiga concretizar várias das reformas defendidas por Temer. Para a OCDE, é preciso reduzir os custos da Previdência, já que a população de 65 anos ou mais no país triplicará nas próximas quatro décadas.

"Sem uma reforma profunda, as despesas em aposentadorias podem aumentar em quase 3% do PIB em 2030", alertou a OCDE, citando que o governo federal já gasta 8,2% de suas receitas na Previdência.

Outro dos assuntos que preocupa a OCDE é a reforma trabalhista. A legislação do país é considerada como "rígida" pela dificuldade em contratar, demitir e estabelecer os horários dos funcionários.

As barreiras ao comércio, que apesar dos progressos ainda são "elevados", o alto déficit (superior a 9% do PIB) e o elevado endividamento pelo agravamento dos juros da dívida brasileira são outras três debilidades detectadas pela OCDE.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos