ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Empresas de A.Latina e Europa iniciam reuniões em fórum de investimento

22/06/2017 15h44

Montevidéu, 22 jun (EFE).- Empresários e investidores de América Latina e Europa começam nesta quinta-feira a fase de reuniões entre os dois continentes para possíveis novos investimentos, durante o segundo dia do I Fórum de Investimento Europeu no Uruguai, realizado em Montevidéu.

"Temos umas 200 reuniões ajustadas, seguramente no correr da manhã acontecerão mais e já à tarde vamos fazer as visitas técnicas, para as quais temos um número muito grande de inscritos", disse à Agência Efe o diretor da agência de investimentos e comércio exterior Uruguai XXI, Antonio Carámbula.

Por sua vez, o embaixador da União Europeia (EU), Juan Fernández Trigo, comentou que nesta quinta será tratada uma "parte um pouco mais prática", e que na quarta-feira será discutida "a parte mais teórica".

Além disso, no salão onde acontecem as reuniões também estão presentes as Câmaras europeias, consultoras representantes de vários organismos públicos e agências para passar informações às empresas internacionais que solicitarem.

Tanto o embaixador da UE como diretor da Uruguai XXI, instituições que organizam este evento financeiro, se mostraram contentes com o resultado das reuniões até agora.

"Pelas caras de satisfação das empresas ao longo do dia e pelos comentários bastante positivos que recebemos, eu tenho a impressão de que foi uma iniciativa muito bem aceita", comentou Trigo.

O embaixador da UE ressaltou a figura do governo uruguaio e explicou que em todas as reuniões setoriais houve uma "presença ministerial de muito destaque".

E tudo isso sem perder o panorama global da América Latina, já que, como disse Carámbula durante os seminários, "houve oradores com uma visão global, mas houve muitos que falaram sob a perspectiva latino-americana".

"No caso do Uruguai, tanto em nível de governo como do setor empresarial, há uma preocupação e uma busca para posicionar a América Latina como um destino adequado para a chegada de investimentos de todo o mundo e, em particular, da Europa", concluiu o uruguaio.

Mais Economia