PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Web Summit alcançará este ano o recorde de 60 mil espectadores em Lisboa

20/10/2017 10h59

Lisboa, 20 out (EFE).- Os organizadores do Web Summit, um dos congressos de tecnologia mais importantes do mundo, afirmaram nesta sexta-feira que esperam mais de 60 mil pessoas para a próxima edição, que acontecerá entre os dias 6 e 9 de novembro em Lisboa, com palestrantes de destaque, como o secretário-geral da ONU António Guterres, o ex-presidente francês François Hollande, e o ex-vice-presidente dos EUA Al Gore.

Esta será, portanto, a edição com maior número de pessoas deste congresso, que nasceu em 2010 em Dublin, na Irlanda, e que se transferiu para a capital portuguesa no ano passado, buscando um espaço com maior capacidade.

Após aquela experiência inicial, o Web Summit confirma que voltará a aumentar sua presença este ano dentro do recinto do estádio MEO Arena, ao lado do Parque das Nações, onde acontece a Feira Internacional de Lisboa (FIL).

Entre os participantes, mais de mil serão palestrantes que apresentarão e discutirão as últimas tendências tecnológicas em diferentes âmbitos, desde a evolução dos automóveis e da gestão financeira até as relações humanas, passando, certamente, pela inteligência artificial.

António Guterres, François Hollande, Al Gore, Yorgos Papandreu, Garry Kasparov e Caitlyn Jenner são algumas das presenças já confirmadas para esta edição, que também contará com executivos de empresas como Facebook, Tinder, Nintendo, Uber, Amazon, Renault, Lloyds e IKEA.

São nomes que evidenciam a crescente relevância deste evento, para o qual estão credenciados cerca de 3 mil jornalistas de mais de 150 países, informou hoje a organização, que pretende fazer uma ponte entre grandes investidores e ideias inovadoras desenvolvidas por empresas emergentes, as 'startups'.

Os contatos serão potencializados não só nas conferências tradicionais, mas também em eventos paralelos com uma atmosfera mais informal, como Pub Summit, Night Summit, Culture Summit e Sunset Summit, que propõem atividades noturnas e conversas no centro de Lisboa.

Este é precisamente um dos segmentos mais esperados pelos donos de estabelecimentos comerciais da capital, que experimentaram crescimento em seu movimento no ano passado graças ao Web Summit.

Segundo as estimativas do governo português, a edição de 2016 teve um impacto econômico de 200 milhões de euros (US$ 236 milhões) para a cidade, dos quais pelo menos um quarto foi para o setor de hotelaria.