Bolsas

Câmbio

FMI aconselha Argentina a acelerar reformas para reduzir "vulnerabilidades"

Washington, 10 nov (EFE).- O Fundo Monetário Internacional (FMI) recomendou nesta sexta-feira à Argentina "acelerar o ritmo" das suas reformas econômicas para reduzir "vulnerabilidades e fomentar um crescimento forte, sustentado e equitativo".

Em comunicado, a delegação do fundo liderada por Roberto Cardarelli que viajou para a Argentina de 31 de outubro até esta sexta-feira fez um balanço dessa visita.

A missão teve como objetivo realizar uma revisão geral da economia da Argentina, dentro do que se conhece como "artigo IV", o que implica a visita de economistas do FMI para compilar informação e trocar opiniões com funcionários do Governo, integrantes do setor privado, membros do Parlamento e organizações civis.

Segundo Cardarelli, desde a chegada de Mauricio Macri à Presidência da Argentina a "transformação sistêmica" da economia deu como resultado "uma recuperação constante da recessão que começou em meados de 2015".

De fato, nas suas últimas projeções, emitidas em outubro, o FMI previu para a Argentina um crescimento de 2,5% em 2017 e também em 2018, em oposição da contração de 2,3% de 2016.

Entre as "vulnerabilidades" a médio prazo, o FMI destaca a diminuição "mais lenta do que o previsto" da inflação e o "rápido aumento no endividamento em moeda estrangeira", assim como uma pressão de alta sobre a taxa de câmbio real.

"Acelerar o ritmo das reformas ajudaria a reduzir estas vulnerabilidades", aconselhou o organismo, ao citar como "um bom passo à frente "a reforma tributária proposta pelo Governo argentino e as medidas para "reduzir a burocracia".

O diretor do Departamento do Hemisfério Ocidental do FMI, Alejandro Werner, já tinha dito nesta quinta-feira, ao participar de um seminário em Buenos Aires, que a "estratégia" da Argentina é a "correta".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos