Bolsas

Câmbio

Rodeado de incertezas, bitcoin estreia amanhã no mercado futuro dos EUA

Nova York, 9 dez (EFE).- O bitcoin estreia este domingo no mercado futuro dos Estados Unidos, em uma nova irrupção nos círculos financeiros que se espera que proteja essa criptomoeda das oscilações bruscas que está registrando nos últimos dias.

Os contratos futuros em bitcoins começarão a ser oferecidos às 21h (de Brasília) de domingo no mercado de Chicago CBOE, embora o primeiro dia de operações nessa plataforma seja apenas na segunda-feira, quando será possível medir a performance inicial desse lançamento.

Além disso, até 18 de dezembro espera-se que comece a operar na maior plataforma mundial de troca de derivados, a CME, também com sede em Chicago, e no ano que vem o bitcoin deve desembarcar no mercado futuro do Nasdaq.

"Dado o interesse sem precedentes no bitcoin, é vital que forneçamos a nossos clientes as ferramentas de mercado que lhes permitam expressar seus pontos de vista e cobrir sua exposição", declarou o presidente da CBOE, Ed Tilly.

O bitcoin, que começou a operar em 2009 e foi criado por uma pessoa ou um grupo sob o nome de Satoshi Nakamoto, está sendo recebido com receio nos Estados Unidos, mas também com certa resignação.

Os principais impulsores neste país desta criptomoeda são os irmãos gêmeos Tyler e Cameron Winklevoss, que disputaram com Mark Zuckerberg a ideia original do Facebook e que acumularam mais de US$ 1 bilhão em bitcoins.

Os Winklevoss tentaram lançar um fundo de investimento cotado (ETF) ligado ao valor do bitcoin, mas as autoridades reguladoras rejeitaram a tentativa em 2013 pelas suspeitas de que escondessem operações fraudulentas.

A decisão adotada pelo mercado de futuros CBOE, e a mais importante que o CME protagonizará uma semana depois, representa um passo fundamental para que o bitcoin alcance reconhecimento nos mercados financeiros mais importantes, de acordo com os analistas.

"É uma legitimação do bitcoin como um tipo de ativo", declarou Daniel Masters, presidente da empresa de investimento Global Advisor, que tem já um fundo de investimento nessa criptomoeda.

As operações de futuro de bitcoins, segundo os especialistas, permitirá às empresas financeiras que operem com essa moeda virtual proteger-se para além das oscilações bruscas na cotação dessa moeda.

Mas, caso fracasse, não seria a primeira vez que se lança um novo produto no mercado futuro e esse se extingue cedo, dado o pouco sucesso que atrai, uma possibilidade que os analistas não descartam tendo em conta a incerteza que paira sobre a plataforma dessa moeda virtual.

O lançamento do bitcoin no mercado futuro dos Estados Unidos acontece em meio a um forte aumento no valor da moeda virtual: em 1º de janeiro deste ano o bitcoin era cotado a US$ 996, enquanto nesta sexta-feira alcançou o valor de US$ 15.600.

Essa valorização aconteceu apesar dos temores de que as transações em bitcoins escondam operações em massa de lavagem de dinheiro ou sirvam a países ou pessoas que estão sendo alvo de sanções econômicas dos Estados Unidos.

Mas o debate gerado pela criptomoeda lhe gerou propaganda gratuita e impulsionou seu valor graças à demanda, e por isso os mercados financeiros americanos sabem que têm que fazer alguma coisa para assimilar esse fenômeno.

"Reconhecemos que o bitcoin é um mercado novo e não explorado que continuará evoluindo", afirmou Terry Duffy, presidente da CME.

O bitcoin, segundo Duffy, "requer uma colaboração contínua" entre os mercados financeiros e os reguladores.

A moeda virtual tem seus fiéis, mas também seus inimigos, e um deles é Jamie Dimon, diretor do principal grupo bancário americano, JP Morgan Chase, que chegou a qualificar esse instrumento como uma "fraude" e disse que em algum momento "explodirá".

Outro crítico é o ex-presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Alan Greenspan, que na quarta-feira comparou essa moeda com as usadas durante a época colonial nos Estados Unidos e terminaram valendo nada.

"Os seres humanos compram todo tipo de coisas que não têm nenhum valor", afirmou Greenspan em uma entrevista à emissora "CNBC".

"As pessoas apostam nos clubes apesar de todas as probabilidades contrárias", completou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos