ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Trump e secretários chave irão ao Fórum Econômico Mundial, diz Casa Branca

11/01/2018 20h54

Washington, 11 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e membros do alto escalão de seu governo vão participar do Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suiça, entre os próximos dias 23 e 26, informou a Casa Branca nesta quinta-feira.

Até seis secretários viajarão para a Suíça em duas semanas, entre eles o de Estado, Rex Tillerson; o do Tesouro, Steven Mnuchin; e o do Comércio, Wilbur Ross.

Além disso, a secretária de Segurança Nacional, Kirstjen Nielsen, a de Transporte, Elaine Chao, e o representante de Comércio Exterior, Robert Lighthizer, também farão parte da delegação.

A presidência americana também confirmou as participações do chefe de gabinete, John Kelly; do assessor de Segurança Nacional, H.R. McMaster; do principal assessor econômico da Casa Branca, Gary Cohn, e do genro e assessor de Trump, Jared Kushner.

Ainda de acordo com a Casa Branca, alguns dos membros do governo americano ficarão mais tempo em Davos do que Trump, e ainda não há previsão se o presidente dos EUA terá outros compromissos fora da cidade suiça em sua agenda oficial.

Segundo a porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, a participação dos representantes do governo Trump "promoverá suas políticas para fortalecer os negócios, as indústrias e os trabalhadores americanos" no Fórum, que tradicionalmente defende a globalização.

Esta será a segunda vez que um presidente americano participa da conferência - a primeira foi com Bill Clinton, em 2000.

Durante os mandatos do ex-presidente Barack Obama, o vice-presidente Joe Biden e o secretário de Estado na época, John Kerry, representaram os Estados Unidos em Davos.

Entre os temas que poderão ser tratados por Trump e sua delegação estão o crescimento econômico do país, que no terceiro trimestre de 2017 foi de 3,2% na comparação com o mesmo período no ano anterior, e o índice de desemprego, que está em seu menor patamar desde 2000. EFE

as/ic/id

Mais Economia