Bolsas

Câmbio

Justiça suspende ordem que proíbia executivos do Uber de deixar a Argentina

Buenos Aires, 9 mar (EFE).- A Justiça da Argentina suspendeu a ordem que proíba que os executivos da filial do Uber deixassem o país, informou nesta sexta-feira a agência "Télam".

Um tribunal de Buenos Aires avaliou o caso e decidiu que não há provas suficientes para provar as denúncias contra os executivos, investigados por evasão de impostos. Por esse motivo, a medida cautelar contra eles acabou suspensa.

A lei tributária da Argentina estabelece como 1,5 milhão de pesos (US$ 72,8 mil) a quantia evadida para que o caso seja considerado como crime. A Uber é acusada de ter desviado cerca de 1,5 milhão. No entanto, a Justiça continuará investigando para descobrir se o montante envolvido é maior do que o já descoberto.

O Uber publicou um comunicado no qual ressaltou a "necessidade de começar o debate sobre regulação, como tem sido feito em tantas outras cidades ao redor do mundo".

A Justiça da Argentina ordenou a suspensão das atividades da companhia em abril de 2016, quando o Uber começou a atuar no país, mas as proibições não impediram que a empresa seguisse com o negócio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos