ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Maior parte dos patrocínios esportivos nos EUA promovem 'junk food'

26/03/2018 15h12

Washington, 26 mar (EFE).- Um estudo publicado nesta segunda-feira pela revista "Pediatrics" revela que três quartos dos anúncios de patrocínio em eventos esportivos nos Estados Unidos estão relacionados com 'junk food', ou seja, com produtos alimentícios não saudáveis.

O relatório revela que 76% dos produtos alimentícios que aparecem em anúncios dos patrocinadores de organizações esportivas não são saudáveis, enquanto 52% das bebidas mostradas nos mesmos também não o são.

A pesquisa, liderada por Marie Bragg, da Universidade de Nova York, se concentrou nas dez principais organizações esportivas observadas com maior frequência por menores de 2 a 17 anos de idade, segundo dados do instituto de pesquisa de marketing Nielsen.

Para chegar a essas conclusões, os especialistas analisaram anúncios de comidas e bebidas não alcoólicas na televisão, no YouTube e em sites esportivos entre 2006 e 2016 e verificaram a qualidade nutricional dos produtos anunciados.

Entre as suas conclusões, os pesquisadores descobriram que a Liga Nacional de Futebol Americano (NFL, na sigla em inglês) tem o maior número de anúncios de 'junk food' e de bebidas pouco saudáveis, seguida pela Liga Nacional de Hóquei (NHL) e pela Liga Menor de Beisebol (MiLB).

Em anúncios dessas organizações e dentro do período analisado, foram encontradas 273 promoções comerciais que promoviam esses alimentos e que foram repetidas em 328 ocasiões, segundo dados do estudo.

Não obstante, os pesquisadores não conseguiram determinar se são as organizações esportivas ou as companhias que produzem 'junk food' que devem assumir a responsabilidade.

A fabricante de chocolates Hershey's, uma das empresas mencionadas no estudo, disse em comunicado enviado à emissora "CNN" que apoia organizações "que permitem que os atletas exibam seus talentos e sirvam como modelos a serem seguidos".

"Os esportes são vistos por várias gerações que entendem que nossos produtos são um prazer. De fato, os doces representam uma quantidade muito pequena da dieta média dos americanos (ao redor de 2% e 3% da ingestão total de calorias)", afirmou o departamento de comunicação da Hershey's.

Mais Economia