ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Tripulantes de cabine da Latam confirmam greve em voos do Chile e região

09/04/2018 14h02

Santiago do Chile, 9 abr (EFE).- O Sindicato de Tripulantes de Cabine da Lan Express, filial chilena do grupo Latam, confirmou que começará uma greve nesta terça-feira que afetará os voos nacionais e regionais da empresa por tempo indeterminado.

"A greve se estenderá indefinidamente até que a empresa apresente uma oferta de acordo com o solicitado", disse em entrevista coletiva a presidente do sindicato, Silka Seitz.

A dirigente afirmou que o sindicato conta com o "apoio absoluto de todos os associados para fazer efetiva a greve unida, sem medo e por todo o tempo que for necessário".

Silka acrescentou que a principal função dos tripulantes de cabine "é a segurança dos voos", por isso "são importantes as condições trabalhistas e de descanso para manter o estado de alerta".

O sindicato negocia com a empresa desde meados de 2017 uma melhoria das condições trabalhistas relacionadas à saúde e à não precarização do trabalho, sem acordo até o momento.

Embora admita que haja avanços no processo de mediação obrigatória, a sindicalista ressalta que "não houve propostas que se aproximassem de melhorar os âmbitos relevantes".

"Nós lamentamos profundamente os transtornos que isto pode causar aos passageiros, e por isso queríamos continuar negociando, mas é a empresa que fixou a data da greve ao não aceitar a extensão da mediação", enfatizou Silka.

A companhia aérea, a maior da América Latina, publicou em seu site um comunicado no qual informa sobre as medidas de contingência para enfrentar a greve.

Ambas as partes terão uma reunião decisiva nesta segunda-feira na qual avaliarão a pedida do sindicato e o possível cancelamento da greve.

O Sindicato de Tripulantes de Cabine da Lan Express representa 97% dos tripulantes da empresa, com 940 empregados filiados.

O órgão se baseia em um estudo de fadiga realizado pela Universidade de Santiago com mais de 250 tripulantes de cabine da Lan Epxress, que conclui que a dotação está em "nível de risco de saúde".

Mais Economia