ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Facebook recompensará denúncias de uso abusivo de dados de usuários

10/04/2018 15h59

Nova York, 10 abr (EFE).- Os diretores do Facebook lançaram nesta terça-feira um programa de recompensas para que as pessoas denunciem abusos sobre o uso de dados por aplicativos na plataforma.

Segundo a empresa, o sistema está em fase de testes e procura identificar "situações nas quais os dados foram obtidos legitimamente" através de aplicativos, mas que depois foram vendidos, roubados ou enviados a outra companhia sem autorização.

O chefe de segurança de produto do Facebook, Collin Greene, explicou o sistema em entrevista à emissora "CNBC". Para cada denúncia, o Facebook pode pagar US$ 500.

De acordo com as condições do programa, só terão direito à recompensa os informantes que reportem casos que o Facebook já não tenha conhecimento, que não façam parte de uma investigação ativa e que representem um "definitivo" abuso dos dados. O problema também deve afetar mais de 10 mil usuários da rede social.

O Facebook já tinha um programa de recompensas para quem avisasse a empresa sobre bugs ou erros que afetassem a segurança da rede social. A iniciativa "complementar" buscará impedir pessoas que se aproveitam de dados mesmo quando não haja vulnerabilidade.

Os denunciantes devem concordar com uma política de responsabilidade da rede social, que exige, entre outras coisas, dar tempo ao Facebook para investigar as alegações antes de revelá-las em público.

"Se cumprirem a política ao informar sobre um problema de abuso, não iniciaremos um processo ou uma investigação policial. Mas alertamos que os denunciantes não devem reportar dados obtidos ilegalmente ou sem autorização", disse Greene.

As investigações sobre vazamentos podem levar entre três e seis meses. O Facebook recompensará as pessoas após tomar os passos necessários para que a lei seja cumprida.

Isso pode incluir fechar o aplicativo em questão, tomar ações legais ou fazer uma auditoria da companha que compra ou vende dados.

Os casos terão uma recompensa mínima de US$ 500. O valor sobe quanto mais alto o impacto e o número de usuários afetados.

Mais Economia