ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Díaz-Canel e Raúl Castro lideram desfile do Dia do Trabalho em Havana

01/05/2018 10h22

Havana, 1 mai (EFE).- O recém-empossado presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, e seu antecessor, Raúl Castro, comandam nesta terça-feira, na célebre Praça da Revolução de Havana, um desfile pelo Dia do Trabalho, com participação de milhares de pessoas.

A celebração, uma das maiores realizadas em Cuba todos os anos, começou às 7h30 locais (8h30 em Brasília) para evitar o intenso sol caribenho. Os participantes começaram a se reunir nos pontos de concentração horas antes do início oficial do evento.

É o primeiro Dia do Trabalho de Díaz-Canel no comando do Conselho de Estado e de Ministros de Cuba após substituir Raúl.

Grandes cartazes cobrem alguns dos principais edifícios da praça, como a Biblioteca Nacional. Uma enorme lona mostra fotos dos heróis cubanos Carlos Manuel de Gramados e José Martí ao lado de duas imagens do ex-presidente e líder da Revolução, Fidel Castro.

Antes do início do desfile, como é tradição, o secretário-geral da Central de Trabalhadores de Cuba (CTC), Ulises Guilarte, fez um discurso. O sindicalista definiu o ato como uma "nova demonstração" de apoio à Revolução e aos seus líderes.

Guilarte ressaltou o apoio dos trabalhadores à atualização do modelo econômico e social de Cuba, medidas promovidas ao longo do governo de Raúl Castro, e condenou a ordem econômica injusta, desigual e excludente, criticando o imperialismo e o neoliberalismo.

Ao contrário de Fidel, que costumava fazer longos discursos no evento, Raúl preferiu ceder o protagonismo aos líderes sindicais do país. Díaz-Canel manteve a decisão no seu primeiro Dia do Trabalho como presidente.

Após o discurso oficial, os trabalhadores começaram uma passeata, que se prolongar por três horas. O ato é liderado por um bloco do Sindicato Nacional de Trabalhadores da Educação, Ciência e Esporte, com o lema "Unidade, Compromisso e Vitória".

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia