Bolsas

Câmbio

Professores iniciam greve de 48 horas na Colômbia por melhorias trabalhistas

Bogotá, 9 mai (EFE).- Mais de 270 mil professores de escolas públicas da Colômbia iniciaram nesta quarta-feira uma greve de 48 horas por melhores condições de trabalho, plano de carreira e o cumprimento de acordos pactuados com o Governo.

O presidente da Federação Colombiana de Educadores (Fecode), Carlos Rivas, disse aos jornalistas que no primeiro dia de greve serão realizadas assembleias informativas nas quais participarão professores, alunos e até pais para explicar as razões da pausa das atividades.

Na quinta-feira, foram convocadas manifestações nas principais capitais departamentais, acrescentou o líder sindical.

Os sindicatos filiais da Fecode realizarão atividades para visibilizar o protesto com atos culturais.

Esta é a segunda greve realizada pelos professores. A primeira ocorreu em fevereiro, quando os educadores suspenderam trabalhos por 24 horas.

Por outro lado, a ministra de Educação, Yaneth Giha, afirmou que a pausa das atividades dos educadores não é justificada e lembrou que sempre se reuniu com os representantes da Fecode para analisar o acordo assinado, que tem 24 pontos.

A respeito, a chefe da pasta de Educação garantiu que nove pedidos dos professores já estão sendo cumpridos, outros nove estão quase prontos e seis requerem trabalho adicional para implementação.

A ministra lembrou que a educação é um serviço público essencial, ou seja, que não pode ser alvo de greve, e assim estabelece o último ponto do acordo assinado com o magistério colombiano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos