ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Temer expressa apoio a Macri e respalda sua política econômica

09/05/2018 21h31

Brasília, 9 mai (EFE).- O presidente Michel Temer afirmou nesta quarta-feira que a política econômica de seu homólogo argentino, Mauricio Macri, é de "responsabilidade", depois que o governo desse país decidiu solicitar "apoio financeiro" ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

"A política econômica do presidente Mauricio Macri é uma política de responsabilidade, de reformas para o crescimento sustentado e o desenvolvimento da Argentina", escreveu Temer em mensagem publicada no seu perfil oficial do Twitter.

O comentário do presidente é divulgado um dia depois de Macri anunciar o início de conversas com o FMI para receber uma "linha de apoio financeiro" com objeto de conter a forte desvalorização do peso em relação ao dólar e amenizar a crise.

Temer compartilha com Macri a mesma filosofia econômica e, neste sentido, expressou sua "plena confiança" no caminho empreendido por seu colega sul-americano.

Em contraste, os principais partidos da oposição argentina criticaram hoje duramente o crédito negociado com o FMI por considerar que esse apoio representará, em efeitos práticos, um plano de ajuste "brutal".

Sobre um possível efeito contágio da crise argentina, o ministro de Fazenda, Eduardo Guardia, negou na véspera essa possibilidade já que, segundo garantiu, a situação é "completamente diferente".

"Não há canal de contágio. Temos uma situação externa extremamente confortável (...) Não vejo nenhum impacto", comentou.

Da mesma forma que o peso argentino, o real também sofreu uma forte desvalorização, que já acumula cerca de 8% desde o início do ano.

No entanto, o Brasil, ao contrário da Argentina, seu principal parceiro comercial na região, possui reservas mais elevadas, estimadas hoje em US$ 383 bilhões e que o governo Temer considera suficientes para defender o real de possíveis impactos externos.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia