Bolsas

Câmbio

Argentina pede Acordo Stand-By ao FMI para atenuar crise do peso

Washington, 10 mai (EFE).- A Argentina pediu formalmente nesta quarta-feira ao Fundo Monetário Internacional (FMI) um Acordo Stand-By para enfrentar a crise provocada pela forte desvalorização do peso em relação ao dólar nos últimos dias.

"O ministro da Fazenda da Argentina, Nicolás Dujovne, solicitou que nossas equipes trabalhem juntas visando um Acordo Stand-By de alto acesso para apoiar o programa econômico integral do país", indicou a diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, em comunicado divulgado depois de se reunir com Dujovne.

Lagarde não revelou o montante do programa de empréstimo, mas analistas estimam que o pedido seja de US$ 30 bilhões. O tipo de acordo condiciona a Argentina ao cumprimento de determinados objetivos macroeconômicos para receber o dinheiro do FMI.

Este tipo de acordo é o mais comum envolvendo o FMI, mas provoca uma maior intervenção da instituição nas políticas econômicas do que a outra opção que estava sobre a mesa, a Linha de Crédito Flexível (FCL).

Lagarde afirmou que seu encontro com Dujovne foi a oportunidade ideal para que o governo argentino reafirmasse as suas prioridades e planos econômicos, que ela disse apoiar de maneira "firme".

"Informei à direção executiva do FMI sobre os avanços que alcançamos, e dei instruções à nossa equipe para que prossiga em conversas voltadas a um programa (apoiado pela organização)", acrescentou.

Antes do encontro no FMI, Dujovne teve durante a manhã uma reunião no Departamento do Tesouro dos EUA com David Malpass, subsecretário para Assuntos Internacionais.

Malpass reiterou seu "contundente apoio" à agenda de "reformas orientadas para o mercado" da Argentina, depois de se reunir com o ministro e deu boas-vindas às negociações com o FMI.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos