PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Reino Unido pode perder 150 bilhões de libras sem acordo do Brexit

28/11/2018 11h59

Londres, 28 nov (EFE).- O Reino Unido pode perder 150 bilhões de libras (R$ 743 bilhões) em produção econômica em 15 anos se o país sair da União Europeia (UE) sem um acordo, revelou nesta quarta-feira o jornal "The Daily Telegraph".

Segundo a publicação, esses cálculos são do Tesouro britânico, anteriores à divulgação hoje de uma análise do Banco da Inglaterra sobre o impacto econômico do acordo do Brexit, que foi aprovado pelos membros da UE no último domingo.

De acordo com o "The Daily Telegraph", o plano do Brexit defendido pela primeira-ministra Theresa May custaria, por outro lado, 40 bilhões de libras (cerca de R$ 200 bilhões) nesse mesmo período.

A análise do Tesouro indica que, com o acordo de May, o Produto Interno Bruto (PIB) britânico seria de 1% a 2% menor em 15 anos do que se o país permanecesse na UE, comparado com uma queda de 7,5% caso o país saia do bloco sem acordo.

O Banco da Inglaterra indicou que publicará sua análise para que o parlamento tenha tempo de avaliá-la antes de 11 de dezembro, quando a Câmara dos Comuns votará sobre o acordo do Brexit, negociado entre Londres e Bruxelas durante 18 meses.

Espera-se que essa análise compare o impacto econômico e financeiro do acordo de May com um cenário de "não acordo e sem período de transição".

Por outro lado, em relação ao Brexit, a Comissão de Contas Públicas da Câmara dos Comuns informou nesta quarta-feira que há "perspectivas reais" de uma grande alteração nos portos do Reino Unido caso o país saia da UE sem um acordo.

"O futuro de estradas, ferrovias, do acesso marítimo e aéreo à Europa depois do Brexit ainda não está claro e o Ministério dos Transportes tem um trabalho crítico para garantir que o Reino Unido esteja preparado", afirmou a presidente da Comissão, Meg Hillier.

"Agora que falta tão pouco tempo (para a saída da UE), ainda há muito o que fazer. Os riscos associados a uma falta de acordo são graves, mas, em particular, os planos para evitar uma alteração nos principais portos estão preocupantemente pouco desenvolvidos", acrescentou Hillier.

O Reino Unido deixará a UE em 29 de março de 2019, quando começará um período de transição que vai até o final de 2020 e durante o qual ambas as partes esperam negociar a futura relação comercial e de segurança.