Topo

Venezuela leva à OMC sanções econômicas dos EUA contra Maduro

2019-01-08T16:00:00

08/01/2019 16h00

Genebra, 8 jan (EFE).- O governo da Venezuela solicitou nesta terça-feira à Organização Mundial do Comércio (OMC), cuja sede fica em Genebra (Suíça), iniciar consultas com os Estados Unidos relativas a determinadas sanções econômicas do governo de Donald Trump contra o governo de Nicolás Maduro.

Com essa solicitação, se inicia formalmente um procedimento de solução de disputas no âmbito da OMC. Se após 60 dias os envolvidos não conseguirem resolver suas diferenças através de consultas, o reclamante pode pedir a formação de um grupo especial para solucionar a disputa.

A Venezuela argumenta que algumas leis e normas dos EUA relativas aos bens de origem venezuelana, a solvência da dívida pública do país sul-americano e as transações na divisa digital "Petro", entre outros aspectos, são incompatíveis com os acordos internacionais de comércio de produtos e serviços.

Entre as medidas que a Venezuela quer debater na OMC figuram o decreto presidencial com o qual se proibiu qualquer transação financeira com origem nos Estados Unidos relacionada com o Petro e o que impede a venda e as garantias de determinados ativos financeiros venezuelanos pelo governo de Maduro.

Caracas também quer discutir a medida que bloqueia as propriedades sob jurisdição dos EUA e proíbe cidadãos americanos de realizarem transações com quatro pessoas do entorno do presidente Maduro, entre elas sua esposa Cilia Flores. EFE

Mais Economia