IPCA
0.13 Mai.2019
Topo

Colômbia quer terminar megatúnel que atravessa Cordilheira dos Andes em 2020

2019-01-09T22:25:00

09/01/2019 22h25

Bogotá, 9 jan (EFE).- O presidente da Colômbia, Iván Duque, afirmou nesta quarta-feira que espera entregar no fim de dezembro de 2020 as obras do Túnel da Linha, que atravessará o eixo central da Cordilheira dos Andes e reduzirá o tempo de viagem entre a região central do país e o porto de Buenaventura, no Oceano Pacífico.

"A ideia que nós estamos desenvolvendo com o Invias (Instituto Nacional de Vias) e com o Ministério de Transporte é que as obras do megatúnel estejam terminadas em maio de 2020. Esperamos que possamos entregar a obra completa em dezembro de 2020", afirmou Duque, que acompanhou o andamento da construção.

O projeto faz parte de um corredor que liga Bogotá à cidade de Buenaventura, que abriga o principal porto do país no Pacífico. A obra completa, que inclui o corte da parte central da Cordilheira dos Andes, tem 20 túneis e 30 viadutos.

Para o presidente, o projeto, que começou há mais de dez anos, é uma "obra emblemática para a Colômbia".

"É a obra de infraestrutura mais complexa, mais difícil e mais exigente do país. Não é só o Túnel da Linha. É todo o trecho para atravessar a Cordilheira Central. É unir dois departamentos, mas beneficiando todo o país", disse Duque.

Apesar de destacar o projeto, Duque criticou seu antecessor, Juan Manuel Santos, e disse que grande parte das obras estava sem financiamento quando assumiu o cargo, em agosto do ano passado.

"Tomamos uma decisão desde o primeiro dia de governo e quero reiterar isso. O exercício da presidência não pode ter vaidades, mesquinharia. E o primeiro compromisso que temos é concluir, concluir e concluir as obras estratégias do nosso país", disse.

"É por isso que conseguimos no ano passado 600 bilhões de pesos (US$ 191,3 milhões) para restabelecer as obras e avançar com o megatúnel", completou Duque. EFE

Mais Economia