PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Visa lança processamento de transações domésticas na Argentina

29/01/2019 23h23

Buenos Aires, 29 jan (EFE).- A Visa Inc. anunciou nesta terça-feira a implementação da plataforma que apoia a multi adquirência e o processamento de transações domésticas na Argentina, realizadas em estabelecimentos através de sua própria rede, a VisaNet, e mediante cartões emitidos no país sul-americano.

Com estas iniciativas, a Visa impulsiona o avanço rumo a um mercado mais competitivo, com vantagens para emissores, adquirentes, "fintechs", comerciantes e usuários de cartões Visa, informaram à Agência Efe fontes da companhia.

VisaNet é o nome da rede global de pagamentos da Visa, que permite que seus mais de 3,3 bilhões de cartões no mundo possam ser utilizados em mais de 53 milhões de estabelecimentos e 2,7 milhões de caixas automáticos instalados em mais de 200 países e territórios, como também é capaz de processar mais de 65.000 mensagens de transação por segundo, o que a transforma em uma das maiores redes de pagamentos, tanto do mundo como da Argentina.

A partir de agora, os diferentes integrantes do sistema de pagamentos na Argentina poderão ter acesso a soluções tecnológicas e de infraestrutura de pagamentos físicos e digitais diferenciados graças à multi adquirência ou possibilidade de ter várias redes processadoras ou adquirentes para aprovar os pagamentos realizados com cartão de crédito.

Além disso, a multi adquirência permite que novos agentes se somem ao mercado para continuar expandindo o acesso aos meios de pagamentos eletrônicos e digitais em todo o país. É como se uma empresa tivesse múltiplas conexões à internet e, se uma apresentasse erros, pudesse ser trocada por outra e manter a conexão à internet.

"A evolução da Argentina rumo a um entorno de multi adquirência e o lançamento do processamento de rede local por meio da VisaNet é um marco para a Visa e para o ecossistema de pagamentos eletrônicos do país", disse o vice-presidente regional de Processamento da Visa para a América Latina e o Caribe, Leonardo Collado.

"Trabalhamos muito próximo e em equipe com os emissores, adquirentes, estabelecimentos, 'fintechs', governos, organizações comerciais e do setor e apoiamos a aceleração da digitalização, da aceitação de cartões e o uso de pagamentos eletrônicos, como também o desenvolvimento de novas tecnologias e inovações que permitam o acesso de mais pessoas à economia formal e digital na Argentina", acrescentou.

Collado destacou também que a rede serve "como catalisadora para as inovações no comércio e representa o começo de uma nova era na qual os pagamentos digitais não estão restringidos pela infraestrutura de fios, e qualquer dispositivo conectado pode se transformar em um elemento de pagamento digital Visa".

"A VisaNet permite transformar os dados de transações em informações processáveis e inteligência empresarial. Ajuda os estabelecimentos a tomar decisões embasadas sobre compras, a otimizar as receitas e os processos comerciais e a enriquecer a experiência dos usuários de cartões", acrescentou.

Além de criar um entorno mais competitivo, com o processamento das transações domésticas através da VisaNet, a Visa começa a proporcionar serviços de autorização, compensação e liquidação de pagamentos para transações efetuadas com cartões desta marca na Argentina, tanto de forma presencial como não presencial, como é o caso do e-commerce.

Por exemplo, em um futuro próximo os usuários de cartões Visa na Argentina e os estabelecimentos poderão acessar serviços mais sofisticados como as carteiras digitais, pagamentos diretos pessoa a pessoa e novas soluções de pagamento digital como uso de tokens para dispositivos conectados (eletrodomésticos, relógios, automóveis, etc), e capacidades de armazenamento e autenticação melhorada, entre outras vantagens.

No ambiente de multi adquirência, os estabelecimentos comerciais terão opções para a aceitação de produtos Visa, incluindo Prisma Medios de Pago e "First Data" (esta última operando sob licença outorgada ao Banco Ciudad) como fornecedor de serviço de pagamentos Visa. EFE