PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Dow Jones fecha em baixa de 0,54%

09/05/2019 18h31

Nova York, 9 mai (EFE).- O índice Dow Jones Industrial fechou nesta quinta-feira em baixa de 0,54%, com os mercados em compasso de espera pelo aumento das tarifas sobre produtos chineses que entra em vigor nos Estados Unidos na meia-noite desta sexta-feira.

O principal indicador da Bolsa de Nova York perdeu 138,97 pontos e chegou a 25.828,36. Já o seletivo S&P 500 recuou 0,30%, até 2.870,72, enquanto o índice composto da Nasdaq caiu 0,41%, para 7.910,59 pontos.

Os setores que mais perderam valor foram o de materiais básicos (-0,80%) e o tecnológico (-0,68%), enquanto o avanço mais significativo foi do imobiliário (0,33%).

O pregão nova-iorquino atravessou outra jornada negativa após o leve respiro de ontem, de novo centrado na escalada de tensão comercial entre Washington e Pequim, que nesta quinta-feira iniciaram outra rodada de negociação marcada pela nova imposição de tarifas.

O presidente Donald Trump acusou a China na quarta-feira de romper o princípio de pacto comercial com os EUA e alimentou o temor de que não cheguem a um acordo antes que entre em vigor na meia-noite desta sexta-feira o aumento de tarifas (de 10% para 25%) sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses, uma ação que deve gerar represálias do país asiático.

No entanto, no meio do pregão de hoje, as perdas se moderaram graças a um tom mais conciliador de Trump, que não descartou um acordo entre as partes, embora tenha ressaltado que tem uma "excelente alternativa" e defendido a alta das tarifas.

Segundo meios de comunicação locais, o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, jantará esta noite com o representante de Comércio americano, Robert Lighthizer, e chegou a Washington sem o título de "enviado especial" do presidente Xi Jinping, algo interpretado como uma possibilidade de que faça concessões.

Entre as 30 empresas que cotam no Dow Jones Industrial se destacou a queda de 5,32% da Intel, como consequência das suas previsões de resultados a três anos, que não satisfizeram os mercados.

A maioria das grandes corporações fechou com números vermelhos, entre elas 3M (-1,85%), Apple (-1,07%), Disney (-1,04%), Cisco (-1,03%) e Boeing (-1,00%).

No grupo de dez empresas que registraram altas no indicador, o destaque foi a petrolífera Chevron, com avanço de 3,14%, premiada pelos investidores após anunciar que não subirá sua oferta para adquirir a Anadarko diante da contraproposta da Ocidental Petroleum.

Em outros mercados, a onça do ouro subia para US$ 1.284,80, enquanto a rentabilidade do bônus do Tesouro a 10 anos recuava até 2,453%. EFE