IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Barril do Texas fecha em baixa de 3,4%

05/06/2019 16h43

Nova York, 5 jun (EFE).- O barril de Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) fechou nesta quarta-feira em baixa de 3,4%, cotado a US$ 51,68.

Ao final das operações na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos futuros do WTI para entrega em julho desceram US$ 1,80 em relação ao valor de fechamento da sessão anterior.

Os preços do petróleo caíram nesta quarta-feira ao nível mais baixo desde janeiro, depois que o governo americano reportou um aumento inesperado nas reservas de petróleo do país. Os estoques comerciais americanos aumentaram em 6,8 milhões de barris na última semana de maio, de acordo com a Administração de Informação de Energia dos Estados Unidos (AIE).

As reservas aumentaram em paralelo ao fato de que as refinarias expandiram a atividade e a que as importações de petróleo nos Estados Unidos ampliaram em mais de 1 milhão de barris por dia. Isso superou uma leitura anterior do Instituto Americano do Petróleo que sugeria que as reservas aumentariam em 3,5 milhões de barris na semana.

Os estoques americanos de gasolina também cresceram em 3,2 milhões de barris durante a semana. As reservas de destilados, incluindo o diesel e o combustível para calefação doméstica, aumentaram em 4,6 milhões de barris.

Enquanto isso, é preciso lembrar da guerra comercial e tarifária dos Estados Unidos com o México e principalmente com a China. Os investidores acreditam que pode acontecer uma desaceleração da economia e com isso diminuir a demanda do petróleo.

Nesse contexto, os contratos de gasolina com vencimento em julho perderam US$ 0,03, para US$ 1,69 o galão, enquanto os de gás natural com vencimento no mesmo mês desceram US$ 0,03, encerrando o dia em US$ 2,38 por cada mil pés cúbicos. EFE

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia