IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Nissan critica decisão da Renault de voltar atrás em decisão aprovada

10/06/2019 05h53

Tóquio, 10 jun (EFE).- A direção da Nissan Motor classificou nesta segunda-feira de "muito lamentável" a decisão da Renault de voltar atrás em uma reforma corporativa da empresa japonesa que tinha sido aprovada previamente por representantes do grupo francês.

Esta reforma, que implicava a criação de três comitês de governo da companhia, foi recomendada por uma comissão independente para reformular a estrutura do grupo depois de ser afastado do cargo de CEO o brasileiro Carlos Ghosn.

A Renault, que é o principal acionista da Nissan Motor, com 43,4% do capital, tinha aprovado essa reforma quando foi levada ao conselho de administração da Nissan, mas o tema deve ser ratificado na assembleia geral de acionistas de 25 de junho.

"A Nissan recebeu uma carta da Renault na qual indica sua intenção de se abster na votação na assembleia de acionistas", diz um comunicado da Nissan Motor, ao comentar as versões da imprensa que antecipavam hoje o envio dessa carta.

Segundo informou o jornal britânico "Financial Times", que antecipou o conteúdo dessa postura, a abstenção implicaria que a proposta de reforma não contaria com os dois terços dos votos necessários, por isso que seria bloqueada.

No seu comunicado, a Nissan lembra que esta reforma para "fortalecer a governança corporativa foi aprovada por todos os integrantes do conselho de administração da Nissan, incluindo os representantes da Renault.

"A Nissan considera que a nova postura da Renault neste assunto é lamentável, já que é contra os esforços da companhia de melhorar sua governança corporativa", acrescenta a nota, citando o CEO da empresa japonesa, Hiroto Saikawa. EFE

Mais Economia