PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Ataque das Forças de Apoio Rápido em Darfur deixa 11 mortos

11/06/2019 18h46

Cartum, 11 jun (EFE).- Pelo menos 11 pessoas morreram em um ataque das Forças de Apoio Rápido (FAR) contra um mercado do estado de Darfur Central, no oeste do Sudão, segundo o Comitê Central de Médicos do país.

De acordo com um comunicado divulgado nesta terça-feira por este sindicato opositor, "após este massacre sistemático, os médicos receberam na região de Dalij 11 mortos e 20 feridos, alguns em estado grave que foram levados ao hospital de Zalingei para operações urgentes" e atendimento especializado.

O sindicato denunciou que as milícias Janjaweed (como eram denominadas as Forças de Apoio Rápido durante o conflito de Darfur, antes de serem integradas às tropas regulares), que seguem as ordens do Conselho Militar "golpista", efetuou este ataque na segunda-feira contra o mercado de Dalij.

Os médicos informaram que nove pessoas morreram atingidas por disparos das milícias de Janjaweed e que ainda não sabem as causas das mortes das outras duas vítimas ou se pertencem à milícia "irresponsável" que mata o povo pacífico em Darfur há anos.

"Afirmamos que cada dia que o Conselho Militar golpista, seus líderes criminosos e a milícia Al Janjaweed continuam em qualquer nível de poder significa uma ameaça direta às vidas dos sudaneses em todo o país. Não há outra forma de manter as vidas a não ser a queda do Conselho Militar golpista" e a dissolução de suas milícias, disse o comitê de médicos.

Por sua vez, o líder tribal Adem Saleh declarou à Agência Efe que as FAR incendiaram as lojas no mercado e atacaram os comerciantes e cidadãos que tentaram apagar o fogo, "causando a morte de oito pessoas e dezenas de feridos".

Saleh explicou que o problema começou quando os comerciantes responderam à convocação da oposição para uma desobediência civil e fecharam suas lojas.

"As FAR tentaram convencê-los, mas eles se negaram a abrir as lojas. Então queimaram alguns comércios e começaram os enfrentamentos entre as duas partes", disse o líder tribal.

Anistia Internacional (Ai) alertou hoje que as forças sudanesas continuam cometendo "crimes de guerra" na conflituosa região de Darfur, em um momento no qual a oposição denunciou uma série de ataques na região. EFE

PUBLICIDADE