IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Blecaute em Argentina e Uruguai se originou em conexão de energia fronteiriça

16/06/2019 15h52

Buenos Aires, 16 jun (EFE).- O blecaute que afetou parte do Cone Sul neste domingo se originou em uma conexão de transporte de eletricidade no litoral leste argentino, entre as usinas hidrelétricas de Yacyretá, de gestão argentino-paraguaia, e Salto Grande, argentino-uruguaia.

"Isto ativou as proteções de centrais geradoras, que saíram de funcionamento e produziram o blecaute", declarou em comunicado a Empresa Distribuidora Sul (Edesur), encarregada da rede elétrica de parte de Buenos Aires e das zonas sul e sudoeste de seu cinturão urbano.

O corte, iniciado pouco depois das 7h (mesmo horário de Brasília), afetou o Uruguai e parte do Paraguai e, na Argentina, principalmente a capital e seu cinturão urbano - que aglutinam 13 milhões de pessoas e onde não para de chover desde a madrugada de sábado -, mas também as demais províncias do país.

"A falha na rede que originou o blecaute em nível nacional se originou em uma conexão de transporte de eletricidade entre as centrais de Yacyretá e Salto Grande, no Litoral argentino", especificou a Edesur.

A primeira dessas represas, situada no curso do rio Paraná, é gerenciada pela Argentina e pelo Paraguai, e a segunda, no curso médio do rio Uruguai, fica acima das cidades de Concordia (Argentina) e Salto (Uruguai) e é operada por estes últimos dois países.

Segundo a Secretaria de Energia do governo argentino, o blecaute aconteceu após um colapso do Sistema Argentino de Interconexão (SADI) que produziu um "corte massivo de energia elétrica em todo o país e que afetou também o Uruguai".

Por sua parte, a Edesur explicou que o serviço foi restituído para dois milhões de clientes, o que equivale a 80% da sua área de cobertura, enquanto a Empresa Distribuidora e Comercializadora Norte (Edenor), encarregada da região noroeste da capital e outras da Grande Buenos Aires, garantiu que restabeleceu o fornecimento a 90% de seus clientes.

Esta situação acontece justamente em um dia de eleições locais nas províncias argentinas de Santa Fé, San Luis (centro) e Formosa (norte), onde serão eleitos novos governadores e vice-governadores.

Nesse sentido, foram registrados múltiplos inconvenientes entre os cidadãos, que tiveram que votar às escuras.

Também há eleições hoje na Tierra del Fuego (sul), mas essa província não foi afetada pelo blecaute.

Trens e metrô foram suspensos na capital durante várias horas, e o blecaute deixou ainda milhares de pessoas sem água, segundo explicou a empresa pública de fornecimento da Grande Buenos Aires.

Por sua vez, o presidente do país, Mauricio Macri, declarou que o blecaute se trata de um "caso inédito" que será "investigado a fundo". EFE

Mais Economia