IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Colapso elétrico na Argentina afeta também Uruguai e partes do Paraguai

16/06/2019 15h03

Redação Central, 16 jun (EFE).- Argentina, Uruguai e algumas regiões do sul do Paraguai amanheceram neste domingo sem energia elétrica devido a uma falha massiva na interconexão entre os três países, segundo confirmou a empresa Edesur, que administra o serviço.

O apagão se deveu a um "colapso" do Sistema Argentino de Interconexão (SADI), como indicou a companhia em comunicado no qual informou que mais adiante dará mais informações sobre o incidente.

Segundo a imprensa argentina, a falta de luz afetou principalmente a região de Buenos Aires e províncias como Santa Fé, San Luis, Formosa e Tierra del Fuego, que se preparavam para a realização de eleições locais neste domingo.

O blecaute paralisou o serviço de transporte da capital pela falta sinalização, após queda de energia por volta das 7h (mesmo horário de Brasília).

A Secretaria de Energia da Argentina informou que ainda não se sabe exatamente as causas do blecaute e que o serviço será normalizado de forma gradual, embora seu restabelecimento completo possa demorar "várias horas".

No Uruguai, a estatal Administração Nacional de Usinas e Transmissões Elétricas (UTE) confirmou que parte do país ficou às escuras, o que repercutiu no sistema nacional.

"Às 7h06 uma imperfeição na rede argentina afetou o sistema interconectado, deixando sem serviço todo o território nacional, assim como várias províncias do país vizinho", disse a UTE no Twitter, acrescentando que "a partir do grande corte regional o sistema já está se levantando do zero".

O blecaute afetou sobretudo o litoral do país, o que inclui a cidade de Montevidéu, e também regiões do interior, como o departamento de Rocha.

Vários argentinos e uruguaios, ao verem que suas casas estavam sem luz, começaram a publicar fotos e vídeos nas redes sociais registrando o momento, o que gerou uma onda de mensagens com a 'hahstag' #apagón.

No Paraguai, o colapso elétrico provocou "o bloqueio de sete unidades geradoras da Central Hidrelétrica de Yacyretá", compartilhada com a Argentina, e afetou algumas cidades do sul do país, informou a Administração Nacional de Eletricidade (ANDE) em comunicado.

Esse bloqueio foi consequência do evento "no sistema argentino de interconexão (SADI)", que provocou o desligamento das sete unidades paraguaias em serviço por volta das 6h (horário local, 7h em Brasília).

As cidades afetadas foram Ayolas, Pilar, Villalbín e regiões na fronteira com a Argentina, principalmente nos departamentos de Missiones e Ñeembucú.

O fato obrigou a realização de manobras de conexão em Itaipu e Acaray, as outras represas do país.

A princípio havia sido informado que o sul do Brasil também foi afetado pelo blecaute nos países vizinhos, mas a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) e a empresa Rio Grande Energia confirmaram que o apagão "não teve reflexos" em território brasileiro.

Os blecautes marcaram a história da Argentina, pois em 1999 cerca de 600 mil cidadãos ficaram sem luz de 15 a 25 de fevereiro devido a um incêndio em uma estação geradora de eletricidade.

Outro incidente aconteceu em 2002, quando pelo menos um quinto da população sofreu com um dia de calor sufocante pelos efeitos de um corte de energia elétrica após uma imperfeição em uma usina próxima a Buenos Aires.

A falta de luz se estendeu por cerca de três horas e meia, o que causou transtornos nas comunicações e paralisou os serviços ferroviários.

Os argentinos também viveram a "noite do apagão", uma operação realizada em julho 1976 na qual houve cortes de energia durante uma semana e cerca de 400 pessoas foram sequestradas, das quais 33 continuam desaparecidas, apenas quatro meses depois de um golpe militar iniciar a ditadura (1976-1983).

O Uruguai não é exceção, pois Montevidéu também ficou às escuras em 1999 como consequência de um incêndio no setor de transformadores da Central Batlle, a principal instalação geradora de eletricidade da capital. EFE

Mais Economia