Topo

Cotação do bitcoin supera US$ 9.200 e bate maior valor em 13 meses

17/06/2019 15h51

Nova York, 17 jun (EFE).- O bitcoin é cotado na tarde desta segunda-feira em um nível inédito em 13 meses, por volta de US$ 9.200, e no final de semana chegou a atingir US$ 9.381,82, estimulado pela aposta do Facebook, a partir de amanhã, em seu próprio tipo de criptomoeda.

Segundo os dados coletados pelo portal especializado CoinDesk, a moeda digital beirou US$ 9.400 no domingo e se manteve durante todo o final de semana acima da barreira psicológica de US$ 9.000, e com tendência de alta graças à expectativa dos investidores.

O Facebook anunciará amanhã sua nova criptomoeda, um projeto que conta com o apoio de empresas como Visa, Mastercard, PayPal e Uber, que farão parte de um consórcio batizado como Projeto Libra e que atuará como supervisor da divisa.

Ainda que o histórico do bitcoin - que perdeu 80% do valor em 2018, de US$ 20.000 para US$ 3.000 - faça seu futuro parecer incerto, para o analista da plataforma de negociações eToro, Simon Peters, um preço de US$ 10.000 está "agora firmemente à vista".

Entre as razões, além da aposta institucional do Facebook, está a instabilidade geopolítica: não só pelas negociações comerciais entre Estados Unidos e China, que estão afetando os mercados desde o início do ano, mas também pela instabilidade no Reino Unido, que terá um novo primeiro-ministro para guiar o Brexit, e os protestos populares em Hong Kong.

"Alguns investidores estão naturalmente assustados e buscam um refúgio seguro em ativos como a criptomoedas", explicou Peters, o que poderia explicar também a alta do ouro, cuja onça é cotada em torno de US$ 1.344,80.

O bitcoin experimentou uma alta de 59% em maio, passando de US$ 5.297,94 no dia 1º para US$ 8.415,46 no fechamento do mês.

Até agora neste ano, a principal criptomoeda de referência se valorizou 142%, desde os US$ 3.800 com os quais começou 2019. EFE

Mais Economia