IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Uruguai tem cerca de 100 mil usuários sem luz, a maior parte em Montevidéu

17/06/2019 11h55

Montevidéu, 17 jun (EFE).- O Uruguai tem cerca de 100 mil usuários sem energia elétrica nesta segunda-feira, a maioria em Montevidéu, após o blecaute de ontem que atingiu o país, a Argentina e parte do território do Paraguai.

Segundo informou a Administração Nacional de Usinas e Transmissões Elétricas (UTE), às 10h52 local (mesmo horário de Brasília) 98.857 clientes permaneciam com problemas no serviço, o que representa 6,62% dos usuários.

O site da empresa também informou que 1.393.682 clientes (93,38%) já tiveram o serviço restabelecido.

O departamento mais afetado foi Montevidéu, com 94.974 pessoas sem luz, seguido de longe por Canelones (sudeste) com 882 usuários, Cerro Largo (centro este) com 577 e Tacuarembó (centro) com 553.

Nos outros 15 departamentos também há usuários sem serviço, embora em menor medida.

O blecaute generalizado que atingiu o Uruguai às 7h06 local de domingo ocorreu depois de "uma imperfeição na rede argentina" que afetou o país sul-americano.

De acordo com a empresa argentina Distribuidora Sur (Edesur), encarregada da rede elétrica de uma parte de Buenos Aires e das zonas sul e sudoeste do cinturão urbano, o blecaute se originou em uma conexão de transporte de eletricidade no litoral leste argentino, entre as usinas hidrelétricas de Yacyretá, de gestão argentino-paraguaia, e Salto Grande, argentino-uruguaia.

O corte afetou o Uruguai, parte do Paraguai e o território argentino, principalmente Buenos Aires e seu cinturão urbano - onde vivem 13 milhões de pessoas.

Em um comparecimento ao lado do presidente da UTE, Gonzalo Casaravilla, o ministro de Indústria, Energia e Mineração do Uruguai, Guillermo Moncecchi, disse que a falha ocorrida na Argentina "não tem antecedentes pela magnitude" e a classificou de "catastrófica".

Casaravilla, por sua vez, ressaltou a importância de o Uruguai estar interconectado com a Argentina e afirmou que, quando há problemas deste estilo, todos tentam solucioná-lo em conjunto.

"Do ponto de vista energético, o Uruguai é absolutamente autossuficiente e poderíamos nos desligar do ponto de vista energético, mas é uma decisão péssima", concluiu o presidente da UTE. EFE

Mais Economia