IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

UE e Mercosul seguem em negociações para dar impulso político a acordo

23/06/2019 13h14

Bruxelas, 23 jun (EFE).- A União Europeia e o Mercosul seguem neste domingo em negociações técnicas para um acordo de associação com a intenção de conseguir os avanços necessários para convocar uma reunião em nível ministerial para um impulso político fundamental ao pacto.

Desde sexta-feira estão reunidos em Bruxelas os chefes negociadores dos países da UE e do Mercosul - Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai - para tentar resolver o máximo de assuntos pendentes na negociação.

O processo "necessita de um impulso político", segundo fontes diplomáticas, mas para que ocorra um encontro a esse nível será necessário limar diferenças em nível técnico.

Entre os temas mais sensíveis no processo está a agricultura, especialmente a carne de boi e o açúcar, indicaram.

A Espanha enviou na sexta-feira uma carta ao presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, à qual aderiram outros seis líderes comunitários, na qual solicitava avançar nas negociações com o Mercosul diante da "ameaça do protecionismo".

Os Estados comunitários que apoiam o acordo acreditam que, "no contexto atual mundial, seria um sinal muito potente de que o sistema funciona, que é preciso respeitar o sistema multilateral, que os acordos bilaterais dentro de um sistema mais amplo multilateral são benéficos e podem ser para todos", disseram fontes diplomáticas.

"A Europa segue acreditando no comércio baseado em regras, um comércio justo que possa criar prosperidade e riqueza", apontaram.

Em paralelo, França, Polônia, Irlanda e Bélgica enviaram outra carta nesta semana à Comissão Europeia - organização que negocia a política comercial em nome dos Vinte e Oito -, na qual manifestaram preocupação com os efeitos do tratado na agricultura.

As negociações para um amplo acordo de associação - baseado na cooperação, o diálogo político e o livre-comércio - entre a UE e o Mercosul se iniciaram em Buenos Aires em abril de 2000 e desde então foram realizadas mais de 30 rodadas de negociação, um processo complexo, inclusive com bloqueios de muitos anos. EFE

Mais Economia