Topo

OMC vê protecionismo crescente entre países do G20 e pede menos tensões

24/06/2019 15h02

Genebra, 24 jun (EFE).- As maiores economias mundiais reunidas no G20 tomaram, nos últimos sete meses, 20 medidas para restringir o comércio exterior que afetaram trocas comerciais no valor de US$ 335,9 bilhões, segundo um relatório da Organização Mundial do Comércio (OMC).

O documento, divulgado nesta segunda-feira pela ocasião da cúpula de líderes do G20, que será realizada nesta semana em Osaka, no Japão, evidencia, segundo a OMC, um notável aumento das tensões comerciais desde meados de 2018

"Precisamos com urgência que os líderes do G20 aliviem as tensões comerciais e cumpram seus compromissos com o comércio e o sistema internacional de intercâmbios", disse o diretor-geral da OMC, o brasileiro Roberto Azevêdo, em comunicado sobre o relatório.

"A tendência à estabilidade que durou quase uma década após a crise financeira foi substituída por um forte aumento nas medidas de restrição comercial no ano passado", acrescentou.

O relatório, que analisa as tendências do comércio entre outubro de 2018 e maio de 2019, observa que o volume de comércio afetado pelas medidas restritivas (aumentos tarifários, veto a importações e exportações, entre outras) é 3,5 vezes maior a respeito de 2012, quando esta estatística começou a ser elaborada.

No período estudado, os países do G20 tomaram 29 medidas destinadas a impulsionar o comércio exterior, gerando US$ 397,2 bilhões em trocas comerciais. EFE

Mais Economia