PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Trump afirma que forte freada da China reflete eficácia da guerra comercial

15/07/2019 09h43

Washington, 15 jul (EFE).- O presidente dos Estrados Unidos, Donald Trump, declarou nesta segunda-feira que as tarifas americanas explicam o baixo crescimento econômico da China e são a razão pela qual "milhares de empresas" querem sair do gigante asiático.

"O crescimento econômico na China no segundo trimestre é o menor que tiveram em 27 anos. As tarifas dos EUA estão tendo um efeito enorme nas companhias que querem sair da China para países sem tarifas. Milhares de empresas estão indo embora", escreveu Trump em sua conta do Twitter.

"Enquanto isso, estamos recebendo bilhões de dólares em tarifas da China, possivelmente com muito mais por vir. Estas tarifas são pagas pela desvalorização e injeção da China, não pelo contribuinte dos EUA!", acrescentou.

Os economistas consideram, no entanto, que as tarifas são em última instância absorvidas pelo consumidor americano em forma de preços mais altos.

O presidente americano reagiu assim ao último dado de crescimento da economia chinesa, que se expandiu no ritmo mais lento em quase três décadas, ao situar-se durante o primeiro semestre de 2019 em 6,3%, segundo os dados oficiais divulgados hoje.

No final de junho, Trump e o presidente da China, Xi Jinping, estabeleceram uma nova trégua à guerra comercial, pela qual Washington freou a imposição de novas tarifas à China e aceitou permitir que as empresas americanas vendam produtos à tecnológica Huawei.

Durante uma reunião na cidade japonesa de Osaka, onde ambos participavam da Cúpula do G20, os dois líderes concordaram em retomar as negociações comerciais, o que deixou em suspenso a intenção americana de estender suas tarifas a todas as importações chinesas.

Antes dessa reunião, Trump tinha ameaçado impor tarifas de entre 10% e 25% sobre importações chinesas avaliadas em US$ 325 bilhões, o que tinha alarmado os mercados internacionais e várias empresas, que temiam aumentos de preços em alguns dos produtos mais procurados pelos consumidores.

O acordo com Xi estabelece que esses encargos estão fora da mesa por enquanto, mas os EUA mantêm em vigência suas tarifas sobre produtos chineses no valor de US$ 250 bilhões, enquanto a China conserva seus encargos a importações americanas no valor de US$ 110 bilhões.

As tensões entre Washington e Pequim têm suas raízes no desequilíbrio da balança comercial a favor da China, que exporta US$ 419 bilhões a mais do que importa dos Estados Unidos, e que Trump assegura que se deve a práticas comerciais injustas do gigante asiático. EFE