PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Trump diz que Fed "decepcionou" ao não apostar por mais reduções nos juros

31/07/2019 20h31

Washington, 31 jul (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quarta-feira que o titular do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, "decepcionou" ao não apostar num prolongado ciclo de redução nas taxas de juros, apesar de a entidade ter anunciado um rebaixamento de 0,25 ponto.

"O que o mercado queria ouvir de Jay (Jerome) Powell e do Fed era que este era o começo de um ciclo prolongado e agressivo de redução das taxas de juros que nos permitiria manter o ritmo da China, da União Europeia e de outros países do mundo", opinou Trump no Twitter.

"Como de costume, Powell nos decepcionou", acrescentou o presidente americano.

Além disso, Trump, que costuma se orgulhar de suas medidas econômicas, parabenizou a si mesmo pela baixa inflação nos EUA e ressaltou: "Estamos ganhando de todos os modos, mas, certamente, não estou recebendo muita ajuda do Federal Reserve!".

Nesta quarta-feira, o Fed anunciou uma redução das taxas de juros de 0,25 ponto, para a categoria de entre 2% e 2,25%, em resposta ao enfraquecimento da economia global e ao baixo índice de inflação no país.

Esta é a primeira redução na taxa de juros em mais de uma década, já que a última aconteceu logo depois da crise financeira de 2008.

Em entrevista coletiva, Powell assinalou que a redução nos juros "não é o começo de um prolongado ciclo" de cortes, mas também não afirmou que este seria o último.

Os mercados reagiram aos cortes nos juros com números negativos na Bolsa de Valores: Wall Street fechou em baixa em seus três indicadores e o Dow Jones Industrial, o principal da Bolsa de Nova York, caiu 1,23%.

A economia americana, por sua vez, perdeu força no segundo trimestre, de acordo com o primeiro cálculo oficial, registrando um crescimento de 2,1% em estimativa anual, em comparação com os 3,1% registrados no começo do ano.

A inflação anualizada caiu dois décimos em junho, para 1,6%, mantendo-se de maneira persistente abaixo da meta anual de 2% do Fed.

Para aumentar a incerteza, Trump criticou durante meses o Fed e seu titular, que foi escolhido pelo próprio presidente e cujo mandato termina em fevereiro de 2022.

Na última segunda-feira, Trump reivindicou novamente uma redução nos juros e insistiu em suas críticas aos aumentos realizados anteriormente pelo Fed.

Diante dessas críticas, Powell voltou a insistir hoje na independência da instituição cujas decisões, segundo ele, são baseadas exclusivamente nos dados econômicos e não em "considerações políticas". EFE