IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Macri discute acordo comercial entre EUA e Mercosul com secretário de Trump

02/08/2019 19h45

Buenos Aires, 2 ago (EFE).- O presidente da Argentina, Mauricio Macri, recebeu nesta sexta-feira, em Buenos Aires, o secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, com quem discutiu a aproximação comercial entre os americanos e o Mercosul.

Ross chegou à capital argentina depois de ter visitado o Brasil. Em encontros com o presidente Jair Bolsonaro e com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o secretário abriu negociações para fechar um acordo de livre-comércio entre os dois países.

O secretário foi recebido por Macri na Quinta de Olivos, residência presidencial da Argentina. Também participaram do encontro pelo país anfitrião o ministro de Produção e Trabalho, Dante Sica, e o secretário de Agroindústria, Luis Miguel Etchevehere.

"Como propôs Ross durante passagem pelo Brasil, falamos do interesse que os países do Mercosul têm, em particular Brasil e Argentina, de ter um diálogo construtivo e com ideias para o comércio com um dos principais atores da economia e do comércio mundial, como são os Estados Unidos", disse o ministro das Relações Exteriores da Argentina, Jorge Faurie.

Em julho, Macri disse em encontro com empresários argentinos em Buenos Aires que estava conversando com o Brasil para negociar em conjunto um acordo com Trump. A reunião ocorreu dias depois do anúncio do tratado comercial entre Mercosul e União Europeia.

Questionado se discutiu com Ross sobre a criação de um acordo comercial, Faurie desconversou e disse que Brasil e Argentina precisam primeiro focar em corrigir problemas do Mercosul.

"Como disse o ministro de Economia brasileiro e hoje Sica e eu reiteramos, temos um tema que é toda a parte tarifária que temos que discutir dentro do Mercosul, o que já estamos fazendo e que é parte do trabalho do semestre da presidência brasileira do bloco", disse Faurie.

"Esse é um trabalho que iremos desenvolvendo a partir dos próximos meses para ver como é o diálogo entre nós e o Mercosul com os EUA", acrescentou o chanceler.

Guedes disse ontem que a intenção do governo brasileiro é mais do que conseguir um acordo de livre-comércio com os EUA, mas sim uma "aliança estratégica" com Trump.

O ministro brasileiro também disse que é possível conciliar um possível acordo entre Brasil e EUA com o assinado entre Mercosul e UE. EFE

Economia