IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Dow Jones fecha em forte baixa de 2,9% após acirramento de guerra comercial

05/08/2019 18h40

Nova York, 5 ago (EFE).- Nova York, 5 ago (EFE).- O índice Dow Jones Industrial fechou nesta segunda-feira em forte baixa de 2,9% após uma escalada na guerra comercial entre Estados Unidos e China e à desvalorização do iuane a um patamar inédito desde 2008.

O principal indicador da Bolsa de Nova York perdeu 767,27 pontos, para 25.717,74. O seletivo S&P 500 recuou 2,98%, para 2.844,74, e o índice composto da Nasdaq despencou 3,47%, para 7.726,04 pontos, abalado pela acentuada queda nos papéis da Apple (-5,23%).

O pregão começou em tom de pessimismo e assim seguiu até o fechamento, afetado por anúncios que acirraram os ânimos na disputa comercial entre EUA e China.

Primeiro, na última quinta-feira, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou que taxaria em 10%, a partir de 1º de setembro, US$ 300 bilhões em produtos chineses ainda isentos, diante da falta de avanços nas negociações comerciais entre os dois países, e o governo chinês prometeu represálias.

Hoje, a promessa se cumpriu. O iuane despencou para um câmbio de 7 por dólar, algo que não acontecia desde 2008. Trump considerou a medida uma manipulação cambial e cobrou que o Federal Reserve, banco central americano, tome medidas a respeito.

Um porta-voz do Banco Popular Chinês atribui no site da organização a desvalorização do iuane às "medidas unilaterais e ao protecionismo comercial" dos EUA, assim como à "imposição de altas tarifárias contra a China", em referência ao acirramento da guerra comercial entre os dois países desde março de 2018.

Um iuane mais fraco significa que os produtos chineses negociados em dólar ficam mais baratos, algo que ajudaria a conter o efeito negativo das novas tarifas americanas sobre a sua competitividade. Por outro lado, há um aumento do custo das importações.

Diante deste cenário, o índice de volatilidade Vix, chamado de "indicador do medo" dos mercados, disparou hoje 38,61% como reflexo da preocupação dos investidores.

No Dow Jones, as ações da Apple - também cotadas no Nasdaq Composite - despencaram 5,23%, já que analistas acreditam que os resultados da companhia serão impactados pela nova rodada de tarifas por parte do governo americano à China. Também tiveram forte queda nesse índice os títulos de Visa (-4,82%), IBM (-4,41%), United Technologies (-3,87%), Goldman Sachs (-3,67%), Cisco (-3,53%), Intel (-3,51%), Microsoft (-3,43%) e 3M (-3,42%).

Na bolsa, as ações de algumas companhias de videogames caíram de forma expressiva após uma menção de Trump à sua má influência na sociedade após dois massacres ocorridos no fim de semana nos EUA. Entre essas empresas estão Electronic Arts (-4,63%), Take-Two Interative (-5,19%), Zynga (-5,31%) e Activision Blizzard (-5,96%), que distribui o popular "Call of Duty".

No horário de fechamento da bolsa, a rentabilidade dos treasuries de 10 anos caía para 1,719%, nível inédito desde 2016, e a onça do ouro aumentava para US$ 1.476,10, maior patamar em 6 anos. EFE

Mais Economia