PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Dow Jones fecha em alta de 0,17% após adiamento de tarifas e estímulos do BCE

12/09/2019 18h47

Nova York, 12 set (EFE).- O índice Dow Jones Industrial fechou nesta quinta-feira em alta de 0,17% após a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de adiar em 15 dias a cobrança de sobretaxas a produtos importados da China e do anúncio de um pacote de estímulos por parte do Banco Central Europeu.

O principal indicador da Bolsa de Nova York somou 45,41 pontos e chegou a 27,182,45. O seletivo S&P 500 subiu 0,29%, para 3.009,57, e o índice composto da Nasdaq avançou 0,30% e fechou aos 8.194,47.

No Dow Jones, as ações da Boeing - que ontem subiram 3,64% seis meses após o veto ao modelo 737 MAX, envolvido em dois grandes acidentes fatais em Etiópia e Indonésia - sofreram hoje a segunda pior queda do dia (-1,91%), atrás apenas da que teve o grupo Walgreens (-4,31%). Outras baixas de destaque foram dos títulos de UnitedHealth (-1,75%), Caterpillar (-1,01%) e Johnson & Johnson (-0,56%).

Já as principais altas foram dos papéis de Visa (1,71%), 3M (1,49%), Travelers (1,42%), Procter & Gamble (1,24%) e United Technologies (1,11%).

O anúncio feito ontem por Trump de que adiará de 1º para 15 de outubro o aumento de 25% para 30% na taxa a ser aplicada a US$ 250 bilhões em alguns produtos chineses, como gesto de boa vontade em relação ao 70º aniversário da fundação da República Popular da China animou os mercados.

Em 1º de setembro aconteceu o último episódio da guerra comercial entre as duas potências, com a entrada em vigor do aumento de 10% para 15% na tarifa a US$ 112 bilhões em produtos importados da China pelos EUA. Está previsto que em 15 de dezembro o governo americano aplique essa mesma alta a outras importações atualmente taxadas em 10%, até chegar a US$ 300 bilhões com alíquota de 15%.

Como represália, a China começou a sobretaxar em 5% a 10% US$ 75 bilhões em produtos americanos.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou nesta quinta-feira que a guerra comercial passou de uma ameaça a "desacelerar" o dinamismo da economia global, que evolui em ritmo "relativamente lento".

Nesta quinta-feira também foi bem recebida pelos investidores a notícia da aprovação, por parte do Banco Central Europeu (BCE), de um pacote de fortes estímulos monetários para apoiar a economia dos países membros.

No horário de fechamento da bolsa nova-iorquina, a onça do ouro subia para US$ 1.505,70, e o rendimento dos treasuries com vencimento em 10 anos aumentava para 1,787%. EFE