PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Argentina perde US$ 20 bilhões em reservas cambiais desde as primárias

23/10/2019 21h01

Buenos Aires, 23 out (EFE).- O Banco Central da Argentina informou nesta quarta-feira que as reservas cambiais do país caíram para US$ 46,1 bilhões, o que representa uma perda de US$ 20,1 bilhões desde as eleições primárias realizadas em agosto, quando o país sofreu severas turbulências financeiras devido à vitória do opositor Alberto Fernández.

Em momentos de crescimento da demanda por dólares diante da incerteza dos investidores sobre o rumo da economia após o pleito presidencial do próximo domingo, o Banco Central perdeu hoje US$ 450 milhões em reservas, em parte pela decisão de intervir no mercado para tentar conter a desvalorização do peso argentino em relação à moeda americana.

Pouco antes das primárias, nas quais o presidente do país, Mauricio Macri, visto como pró-mercado, sofreu uma dura derrota eleitoral para o peronismo, as reservas cambiais da Argentina estavam em US$ 66,3 bilhões.

As reservas caíram desde o pleito não só pelos esforços do Banco Central para conter a taxa de câmbio, mas também pelo aumento dos saques em dólares nos bancos do país.

A pressão sobre as reservas deve crescer nos próximos dias, especialmente devido à preferência dos investidores pela moeda americana em momentos de crise.

Outro temor é que os controles cambiais decretados em setembro por Macri se tornem ainda mais rígidos depois das eleições de domingo, que devem ser vencidas, em primeiro turno, por Fernández, segundo as principais pesquisas divulgadas no país.

"As reservas continuam descendo a um ritmo maior ao que o das últimas semanas. Claramente, essa queda se justifica principalmente pela venda de divisas por parte da autoridade monetária", disse a Portfolio Pessoal Investimentos em relatório. EFE