PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Santander compra plataforma de pagamento Ebury por 400 milhões de euros

04/11/2019 14h38

Madri, 4 nov (EFE).- O banco espanhol Santander anunciou nesta segunda-feira a compra de 50,1% da companhia especializada em pagamentos internacionais e câmbio Ebury, por cerca de 400 milhões de euros (R$ 1,78 bilhão).

O CEO do Santander Brasil e executivo responsável, no Grupo Santander, pelo acompanhamento da atividade de Global Trade Services (serviços de comércio internacional para PMEs), Sergio Rial, será o novo presidente da Ebury, uma empresa que continuará a operar como uma unidade independente.

Em comunicado, o Santander explicou que, do valor total da operação, cerca de 80 milhões de euros correspondem a novas ações para apoiar os planos da empresa de entrar em novos mercados na América Latina e Ásia.

O Santander espera obter um retorno sobre o capital investido (Roic) superior a 25% até 2024, conforme indicado pelo banco.

Os atuais investidores da Ebury, incluindo co-fundadores e gestores, irão reinvestir na transação.

O banco explicou que este investimento, que faz parte da sua estratégia digital para acelerar seu crescimento através da tomada de participações em empresas, "fortalecerá sua oferta de comércio internacional e consolidará sua posição como o banco de escolha para as PMEs" que operam ou pretendem operar em mercados europeus ou americano e, posteriormente, também no asiático.

A presidente do Santander, Ana Botín, destacou o papel das PMEs como motor do crescimento e explicou que o acordo permitirá ao banco oferecer a essas empresas produtos e serviços que antes só estavam "ao alcance das grandes empresas de forma mais rápida e eficiente".

Por sua vez, os co-fundadores da Ebury, Juan Lobato e Salvador García, asseguraram que, com este acordo, os clientes podem se beneficiar da tecnologia e serviço da plataforma e, ao mesmo tempo, da segurança e certeza de trabalhar com uma das mais importantes instituições financeiras do mundo.

"A Ebury está em um momento fundamental: acabamos de concluir nossa primeira aquisição, e o novo capital do Santander e dos acionistas nos permitirá continuar investindo para ajudar as PMEs que operam internacionalmente. Dessa forma, continuamos a crescer enquanto mantemos nossa cultura corporativa", afirmam os co-fundadores, em comunicado. EFE

PUBLICIDADE