PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Cazaquistão planeja desenvolver turismo com modelo espanhol de referência

18/11/2019 17h18

Almaty (Cazaquistão), 18 nov (EFE).- O Cazaquistão, país rico em petróleo e minerais, pretende realizar uma expansão na indústria do turismo tendo o "modelo espanhol" como referência, segundo as autoridades cazaques.

"Temos muito a fazer e aprender. O modelo espanhol é uma referência para nós porque a Espanha é uma potência na indústria do turismo", disse o diretor de Turismo e Divulgação para a região de Almaty, Aslan Konurkhanov.

A medida faz parte da aposta do Cazaquistão em se tornar uma das 30 principais economias do mundo até 2050, o que, segundo o governo, necessitaria a diversificação de outras indústrias além das de petróleo e gás.

De acordo com os cálculos do Instituto Nacional de Estatística da Espanha, entre janeiro e agosto deste ano, 29 milhões de pessoas fizeram excursões, enquanto 58,2 milhões de turistas passaram pelo menos 24 horas no país. No ano passado, os visitantes gastaram um total de 90 bilhões de euros na Espanha.

Konurkhanov explicou que o Cazaquistão percebeu como o turismo contribui para o sucesso econômico da Espanha e está "consciente do valor" da indústria e de sua capacidade como motor de crescimento.

De acordo com Konurkhanov, o país já agilizou os trâmites de vistos para visitantes internacionais e promoverá as principais feiras do setor, como a Feira Internacional de Turismo (FITUR) em Madri, que ocorrerá de 22 a 26 de janeiro de 2020.

Konurkhanov explicou em Almaty, a maior cidade do país e localizada ao longo da cordilheira de Zailiyskiy Alatau, que a região desenvolveu um plano focado no turismo de neve e montanha que inclui mais de dez áreas turísticas diferentes, e que 13 complexos hoteleiros estarão prontos em 2025.

Na opinião de Konurkhanov, a expectativa é que o número de turistas aumente "de forma considerável" para que, em alguns anos, o país se torne "uma referência e um destino turístico em nível mundial".

Atualmente, a maior parte dos viajantes procede de Rússia, China e Alemanha, com a Turquia logo atrás. O Escritório de Turismo destaca excursões como ao lago Kaindy, de 400 metros de largura com 30 de profundidade e 2 mil metros acima do nível do mar; ao Cânion Lunar; e ao Cânion de Charyn.

Também são oferecidas atividades como viver a experiência dos nômades, onde os visitantes são apresentados aos costumes antigos e a tradições como montar a cavalo, cerimônias ancestrais e a particular gastronomia, que inclui cordeiro, até mesmo os olhos do animal. EFE