PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Wall Street tem triplo recorde apesar de cautela com negociação EUA-China

18/11/2019 20h02

Nova York, 18 nov (EFE).- Wall Street registrou nesta segunda-feira leves altas em seus três indicadores, mas todos bateram assim seus recordes em meio a sinais contraditórios sobre o andamento das negociações em prol do fim da guerra comercial entre Estados Unidos e China.

O Dow Jones Industrial, principal índice da Bolsa de Nova York, subiu 0,11%, para 28.036,22 pontos, o seletivo S&P 500 avançou 0,05% e chegou a 3.122,03, e o Nasdaq Composite fechou em alta de 0,11%, aos 8.549,94.

A semana em Wall Street, portanto, começou da mesma forma que a anterior, com triplo recorde, embora com os investidores menos otimistas sobre uma solução para o longo conflito tarifário entre as duas maiores economias do mundo.

Nas operações eletrônicas anteriores à abertura do pregão, o bom humor predominou graças à divulgação no sábado, por parte das autoridades chinesas, de que as partes tiveram uma conversa "construtiva". Porém, hoje de manhã, a rede de televisão americana "CNBC" disse que a recusa do presidente dos EUA, Donald Trump, em derrubar as tarifas já impostas prejudicou o ambiente das negociações.

Como fator positivo para o pregão, pesou a extensão do prazo dado pelo governo americano para que a Huawei possa fazer negócios com companhias dos EUA.

No Dow Jones, as altas mais expressivas foram das ações de Disney (2,06%), UnitedHealth (1,31%), Nike (1,23%), Walmart (1,16%), Procter & Gamble (1,12%) e JPMorgan (0,84%). As maiores quedas foram dos papéis de Chevron (-1,73%), Caterpillar (-1,18%), Dow (-0,98%), Exxon Mobil (-0,97%) e Merck (-0,91%).

No horário de fechamento da bolsa, a onça do ouro subia para US$ 1.471,60, e o rendimento dos treasuries com vencimento em 10 anos caía para 1,815%. EFE