PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Governador anuncia que cidade de Nova York entrará na fase 2 do relaxamento

17/06/2020 20h31

Nova York (EUA), 17 mar (EFE).- O governador de Nova York, Andrew Cuomo, anunciou nesta quarta-feira que a homônima capital do estado passará na segunda-feira para a fase 2 do relaxamento de medidas de contenção à Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus.

O chefe do governo regional informou que, nas últimas 24 horas, o estado teve 15 mortes, sendo 15 em hospitais e dois em instituições de acolhimentos de idosos.

Durante a fase 2, Nova York poderá ter a volta do funcionamento dos escritórios, com 50% do pessoal trabalhando em cada edifício, por exemplo. Também serão retomados estabelecimentos comerciais não essenciais, como salões de beleza, cabelereiros, barbearias.

Os restaurantes, além disso, poderão servir comida em espaços abertos.

Grandes marcas como a Apple, já reabriram todas as lojas nos cinco distritos de Nova York, depois de meses de fechamento.

Segundo Cuomo, o estado atingiu o nível mais baixo de hospitalizações desde o início da pandemia. Além disso, a taxa de positivos foi a menor das últimas semanas, com 0,96% dos cerca de 60 mil testes de diagnóstico realizados.

"Os números da cidade seguem sendo bons", disse o governador, que cobrou a administração municipal de seguir acompanhando a situação, inclusive, aumentando a capacidade de testar a população.

Cuomo ainda afirmou hoje que as regiões de Westchester, Rockland e Hudson Valley entrarão na fase 3 do relaxamento de medidas na próxima terça-feira, e Long Island no dia seguinte.

CRÍTICAS AO GOVERNO FEDERAL.

O governador de Nova York voltou a disparar contra a gestão da crise feita pelo governo dos Estados Unidos, que é comandado pelo presidente Donald Trump, garantindo se tratar de um "erro histórico".

"Não é um comentário político. É um comentário baseado na verdade objetiva", garantiu Cuomo.

O chefe da administração regional apontou que vários estados estão passando por novas altas de casos de infecção e também na quantidade de hospitalizações, o que gera alarme em todo o país.

Segundo o governador, houve erros nas reaberturas de vários territórios, que poderiam afetar, inclusive, Nova York, por isso, pediu responsabilidade da população dos Estados Unidos, da mesma forma que se pedia ao estado.

"Estamos em um momento da história em que não há distinção entre partidos, porque tratam-se de consequências de vida ou morte", avaliou Cuomo.

Economia