PUBLICIDADE
IPCA
0,36 Jul.2020
Topo

Presidente do México elogia visita aos EUA, e diz que muro não foi mencionado

10/07/2020 14h35

Cidade do México, 10 jul (EFE).- O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, descreveu como "muito favorável" sua visita a Washington para se encontrar com mandatário dos Estados Unidos, Donald Trump, e o agradeceu pelo tratamento "respeitoso".

"Consideramos que foi um passeio, uma visita, muito favorável por causa dos benefícios para o nosso povo e para a nossa nação", disse o governante mexicano na primeira aparição pública após o retorno ao país natal.

López Obrador visitou os EUA nesta semana para se encontrar com Donald Trump no dia 8 de julho e celebrar a entrada em vigor, em julho, do novo tratado entre México, Estados Unidos e Canadá.

Sobre a promessa de Trump de construir um muro na fronteira com o México, López Obrador afirmou que este assunto não foi mencionado durante a visita.

"É um assunto que não foi tratado porque procuramos fazer um encontro a partir do consenso, para resolver diferenças, que são típicas de dois países vizinhos, mediante o diálogo. Não era um tema que queríamos tratar. Agradecemos que não tenha sido abordado em público", ressaltou.

Aproveitando a entrevista coletiva matinal do Palácio Nacional, López Obrador agradeceu aos migrantes mexicanos nos Estados Unidos pelo apoio que recebeu em Washington, onde se reuniram para ver o presidente mexicano.

"Alguns até nos acompanharam com uma distância saudável. Quero agradecê-los pelo apoio, solidariedade e confiança", declarou.

O presidente mexicano comentou que visita a Washington - sua primeira viagem ao exterior como presidente - tinha como objetivo representar todos os mexicanos, tanto os que vivem dentro do país como em outras nações.

López Obrador garantiu que o povo mexicano é um "exemplo por sua força cultural, por sua grandeza" e agradeceu pelo apoio que recebeu de empresários mexicanos antes do encontro com Trump.

Além disso, defendeu a importância do acordo entre México, EUA e Canadá, que, segundo ele, ajudará "muito" os trabalhadores e empresários de todo o país, um tratado comercial que chega em um momento "oportuno" diante de uma economia "afetada" pela pandemia da Covid-19.

"Em nenhuma outra região do mundo existe um tratado assim, um acordo com estas características para promover investimentos e criar empregos", resumiu.

Antes de dar a palavra à ministra da Economia, Graciela Márquez, e ao ministro das Relações Exteriores, Marcelo Ebrard, o presidente mexicano encerrou seu primeiro discurso agradecendo ao governo dos Estados Unidos e a Donald Trump pelo tratamento "respeitoso" e "cordial".

Questionado na entrevista coletiva, o governante explicou que "o convite para visitar o México está aberto ao presidente Trump", o que seria um gesto de "amizade".

"Mas, devido às circunstâncias eleitorais (americanas), não há possibilidade de o presidente Trump nos visitar agora", completou.

No dia 8 de julho, Trump e López Obrador celebraram o novo acordo de livre-comércio e trocaram elogios, evitando confrontos e deixando de lado as questões mais espinhosas de natureza bilateral.