PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Brasil e Paraguai discutem vias para comércio na fronteira durante pandemia

07/08/2020 00h38

Assunção, 6 ago (EFE).- Os ministérios das Relações Exteriores do Paraguai e do Brasil estão em negociações avançadas para chegarem a um acordo para a retomada da atividade comercial na região de fronteira entre os dois países, fechada devido à pandemia do coronavírus.

O ministro paraguaio, Antonio Rivas, declarou aos jornalistas nesta quinta-feira que as conversas estão na fase final e tudo que resta é que o Brasil aceite o protocolo apresentado para que uma espécie de correio terrestre possa começar a operar formalmente entre as cidades vizinhas dos dois países.

As autoridades paraguaias anunciaram em junho um serviço semelhante aos de entrega e comércio eletrônico de fronteira entre os municípios interessados, mas a iniciativa não avançou porque não houve acordo entre os governos, agora obtido.

No Brasil, é necessária a aprovação da Receita Federal, e no Paraguai o mecanismo está sendo promovido pelo governo de Mário Abdo Benítez, com a participação dos Ministérios da Indústria e Comércio, das Finanças e das Relações Exteriores.

"Trouxemos o protocolo sanitário às autoridades brasileiras, que o estão analisando. Uma vez fechado, podemos ter o mecanismo pelo qual o comércio fronteiriço será instalado", afirmou Rivas.

A implementação de algum tipo de mecanismo para reativar o comércio bilateral será uma linha de vida para as economias asfixiadas de Ciudad del Este, a segunda maior cidade do país, Pedro Juan Caballero e Salto del Guairá.

Essas cidades, que fazem fronteira com os estados do Paraná e Mato Grosso do Sul, vivem do intercâmbio comercial com o Brasil, razão pela qual sofrem os efeitos do fechamento da fronteira, embora o transporte de mercadorias não tenha parado desde o começo da pandemia, em março.

A preocupação do governo comandado por Benítez é o aspecto sanitário da situação no Brasil e no departamento do Alto Paraná, cuja capital é Ciudad del Este, e que acumula a maioria dos casos de coronavírus no Paraguai.

Na semana passada, o departamento caiu novamente em uma fase de maiores restrições de circulação diante da curva ascendente de contágio. O número de mortes no vizinho desde março, quando foi detectado o primeiro caso no país, é de 61, com cerca de 5 mil casos.