PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Itália aprova decreto com ajuda econômica e mais reaberturas

08/08/2020 03h57

Roma, 7 agosto (EFE).- O Conselho de Ministros da Itália aprovou nesta sexta-feira um programa de ajuda avaliado em 25 bilhões de euros para lidar com os efeitos da pandemia de Covid-19, iniciativa incluída em um decreto que também prorroga por 18 semanas a proibição de demissões e que permite a realização de viagens em cruzeiros.

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, explicou que este novo decreto, válido de 10 de agosto a 7 de setembro, ainda prolonga as medidas mínimas de prevenção, como a utilização de máscaras em espaços fechados ou onde muitas pessoas estão concentradas, a obrigação de uma distância de um metro, a proibição de multidões e a limpeza e desinfecção das mãos.

Conte anunciou que será permitido organizar congressos a partir de 1º de setembro, e que os cruzeiros de turismo serão habilitados no dia 15 de agosto.

DEMISSÕES PROIBIDAS.

Conte ressaltou em entrevista coletiva que, com o novo decreto, o governo destinou 100 bilhões de euros em ajuda para aliviar os problemas decorrentes da pandemia.

Com este terceiro decreto aprovado para aliviar a crise, os impostos, contribuições, deduções suspensos durante os meses de março, abril e maio poderão ser pagos de diferentes formas.

Após uma longa negociação entre a coalizão governamental, formada pelo Partido Democrático e o Movimento 5 Estrelas, foi firmado um acordo para que as empresas não possam demitir os funcionários que podem ter o contrato suspenso ou a carga horária reduzida. A proibição, que começou a valer em 13 de julho, foi prorrogada até meados de novembro.

O decreto prevê também um congelamento do pagamento de impostos até 15 de outubro e o ampliou o prazo do imposto predial para os negócios que mais sofreram com a pandemia, como hotéis, cinemas, teatros e boates. O imposto de ocupação de espaços públicos também continuará suspenso durante 2020.

Os trabalhadores do turismo com contrado efetivo terão quatro meses de isenção das contribuições, já os profissionais com contrato temporário terão o benefício por três meses.

AJUDA "HISTÓRICA" AO SUL.

A Conte descreveu a ajuda ao sul da Itália contida no decreto como "histórica". A medida prevê uma redução de 30% nas contribuições para a seguridade social por trabalhador para todas as empresas do sul de 1º de outubro a 31 de dezembro de 2020.

Também foram aprovados descontos e outras vantagens a quem pagar com cartões eletrônicos. Serão destinados 400 milhões de euros em subvenções a bares, restaurantes e lojas nas 29 cidades turísticas italianas mais afetadas pela falta de turismo estrangeiro.