PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Sul-africanos fazem fila para voltar a comprar bebida alcoólica e tabaco

18/08/2020 15h20

Johanesburgo, 18 ago (EFE).- A entrada em vigor de uma nova fase de desconfinamento na África do Sul, onde a pandemia finalmente começa a recuar após se tornar o quinto país do mundo com mais casos de Covid-19, trouxe, nesta terça-feira, filas de cidadãos ávidos por comprar bebida alcoólica e tabaco nos mercados.

Ambos os produtos foram proibidos pelo governo para reduzir os efeitos nocivos para a saúde e emergências hospitalares decorrentes de seu uso abusivo.

"Durante as últimas três semanas, o número de novos casos confirmados caiu de um pico de mais de 12 mil por dia para uma média na última semana de 5 mil diários", explicou no último final de semana, o presidente do país, Cyril Ramaphosa, ao anunciar uma maior flexibilização das restrições.

A fase 2 do desarmamento - de um total de 5 em que a quinta corresponde ao confinamento total, com apenas serviços mínimos, e a 1 constitui praticamente um regresso à normalidade - entrou em vigor hoje.

Como resultado, no início da manhã muitos cidadãos já faziam fila nas portas de lojas de bebidas e locais de venda de tabaco em todo o país.

A comercialização de tabaco estava proibida desde março - gerando um fortalecimento do mercado negro - e o álcool só foi vendido nas lojas durante algumas semanas em junho, antes de ser proibido novamente devido ao alto número de emergências hospitalares registradas por seus consumo.

"Estou feliz que os cigarros voltaram porque vou economizar muito. Agora não me sinto mais como um criminoso", disse hoje um fumante em um supermercado de Johanesburgo, ao portal de notícias local "Times".

Outras regras, tais como as que mantinham as academias fechadas e esportes de contato proibidos, também foram suspensas hoje.

Da mesma forma, as restrições internas ao turismo são suspensas, embora as acomodações tenham capacidade restrita, enquanto as limitações para viagens ao exterior permanecem em vigor.

Na fase 2, os sul-africanos também podem voltar a fazer visitas domiciliares, mas as reuniões devem ser limitadas a dez pessoas.

Os funerais e eventos em geral não podem ultrapassar 50 pessoas presentes e os torneios esportivos profissionais serão retomados sem a presença do público.

A África do Sul é o quinto país do mundo mais atingido pelo novo coronavírus, com 589.886 infecções. Destes, 11.982 morreram e 477.671 já se recuperaram da doença. EFE

ngp/phg

(foto)