PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Projeto mexicano que visa fornecer água em áreas carentes ganha prêmio global

20/08/2020 18h46

Santiago, 20 ago (EFE).- O empreendimento mexicano Isla Urbana venceu nesta quinta-feira o prêmio principal do concurso internacional Softys Water Challenge e receberá financiamento para implementar um sistema de captação de água da chuva em telhados de residências.

O concurso buscou iniciativas que pudessem ser aplicadas para o fornecimento de água potável em áreas carentes da América Latina. Foram recebidas mais de 500 inscrições de todo o mundo com diferentes abordagens para solucionar um problema que, na região, afeta cerca de 37 milhões de pessoas, especialmente agora, em meio à pandemia do novo coronavírus.

Após sete meses de análises dos projetos, hoje foram anunciados os três primeiros colocados da edição inaugural do concurso, organizado pela empresa internacional de produtos higiênicos e sanitários Softys, que integra o grupo de empresas CMPC, em parceria com a Fundação Amulén e o Centro de Inovação UC Anacleto Angelini, da Universidade Católica do Chile.

AUTOSSUFICIÊNCIA EM ÁGUA POTÁVEL A PARTIR DAS CHUVAS.

O projeto Isla Urbana ficou com o primeiro lugar graças a seu sistema que visa transformar a água da chuva em uma fonte alternativa de água potável em comunidades vulneráveis de forma eficiente e sustentável. Ele receberá financiamento adicional da Softys para que a solução seja implementada em uma comunidade carente de água potável na América Latina.

"O júri deve ter se impressionado com a simplicidade e eficácia da ecotecnologia, que dá a cada família a capacidade de ser autossuficiente em água sem depender de nenhum agente ou ator externo", disse o diretor de comunicação do Isla Urbana, Nabani Vera, à Agência Efe.

Com mais de 10 anos de experiência no desenvolvimento de projetos de captação de água da chuva, o Isla Urbana já testou sua solução com a instalção de mais de 20.000 sistemas no México, tanto em áreas urbanas como rurais, em escolas, centros de saúde, edifícios e espaços comunitários e governamentais.

"O benefício é quase imediato. Se o sistema for instalado pela manhã e uma boa chuva cair à tarde, no mesmo dia a família terá água limpa disponível", explicou Nabani, além de acrescentar que, com a manutenção adequada, o sistema pode durar mais de 30 anos "fornecendo água de alta qualidade para a família".

PURIFICAÇÃO DAS ÁGUAS DO MAR OU SUBTERRÂNEAS.

O segundo lugar do concurso foi conquistado pela Remote Waters, uma empresa emergente originária do Chile que tem uma tecnologia de purificação de água do mar ou subterrânea que possibilita o fornecimento de água potável para comunidades com acesso limitado a este recurso.

Esse projeto consiste em um recipiente equipado com tecnologia de membranas e energizado por painéis solares, é fácil de ser operado e transportado e trata água contaminada ou água salgada, o que proporciona uma resposta eficaz, por exemplo, às comunidades que hoje são abastecidas por meio de poços ou rodas d'água, onde muitas vezes a água requer tratamento adicional.

"Levamos aproximadamente dois dias para instalar, e quando o sistema está montado, já consegue gerar água. Entretanto, antes de ser implementado, é preciso realizar uma visita técnica e análises de qualidade e disponibilidade de água, que podem levar até três meses", disse a Remote Waters à Efe.

O sistema funciona continuamente, sem depender do clima ou da umidade do ar, pode durar 20 anos se forem feitas as manutenções e substituições de peças necessárias, e cada unidade pode produzir 23 mil litros de água potável por dia.

ÁGUA POTÁVEL A PARTIR DA UMIDADE AMBIENTE.

O terceiro lugar ficou com a Watergen, uma empresa israelense que está presente no Chile há dois anos e cuja solução consiste em um dispositivo que produz até 5.000 litros de água potável por dia a partir de geradores que aproveitam a umidade do ambiente para transformá-la em água potável e purificada, e pode fornecer água em nível doméstico e/ou comunitário.

Este sistema de condensação, semelhante ao utilizado pelo ar condicionado, é instalado em algumas horas ou durante um período de três dias, dependendo se é uma instalação de pequena, média ou grande escala, e uma vez implementado "permite que a água seja gerada constantemente 24 horas por dia", afirmou a Watergen, que também enfatizou que "a vida útil do dispositivo é de 20 anos".

COMPROMISSO COM A EFICIÊNCIA DA ÁGUA Conhecido o resultado do concurso, a Softys embarcará agora na fase de implementação da solução vencedora do primeiro prêmio em alguma comunidade carente da América Latina ainda a ser definida.

A empresa informou que seu compromisso com o Softys Water Challenge é de longo prazo e que continuará em seu propósito de buscar soluções associadas ao acesso à água e à higiene no futuro.

"Procuramos contribuir com a Softys para os Compromissos Sustentáveis das Empresas CMPC. Nossa meta é contribuir com uma redução de 40% no uso de água industrial até 2025, o que, graças ao Softys Water Challenge, também se torna uma ação concreta focada na água para as comunidades mais carentes deste recurso básico na América Latina", disseram fontes da empresa à Efe.

Com isso, a Softys disse que está agindo com o pilar de "Capacitar o desenvolvimento das comunidades locais" de seu recente Plano de Sustentabilidade 2020-2023, que faz parte da estratégia de sustentabilidade que a CMPC assinou no final de 2019, alinhada com os objetivos da Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.