PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Presidente do Uruguai confirma orçamento "austero" e não subirá impostos

27/08/2020 04h22

Montevidéu, 26 ago (EFE).- O presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, anunciou nesta quarta-feira que apresentou ao seu gabinete e aos legisladores um orçamento austero, que ainda não foi aprovado pelo Parlamento, e que não aumentará os impostos, uma de suas promessas de campanha.

"Este é um orçamento austero, um orçamento de economia. Vamos cumprir o compromisso eleitoral que foi obviamente adiado pela Covid-19, que é uma economia (em gastos públicos) de cerca de US$ 900 milhões. A economia prometida vai acontecer, e a receita tributária também não vai aumentar", declarou o chefe de governo sobre o orçamento para o mandato 2020-2025.

Lacalle Pou deu uma coletiva de imprensa na Torre Executiva de Montevidéu com a ministra da Economia e Finanças, Azucena Arbeleche, e o diretor do Escritório de Planejamento e Orçamento (OPP), Isaac Alfie.

Arbeleche admitiu que o plano para melhorar o déficit fiscal foi adiado devido à crise sanitária provocada pelo coronavírus, que chegou ao Uruguai oficialmente em 13 de março. Desse modo, em 2020, subirá para 6,5% porque, destacou ela, o governo não poupou nem poupará esforços no combate à pandemia, para o qual foi criado o denominado Fundo Coronavirus, com quase US$ 770 milhões para todo o ano.

De acordo com as projeções do governo Lacalle Pou, que assumiu em 1º de março, a partir de 2021 as economias implementadas permitirão uma redução para 4,1% e, conforme a atividade econômica do país melhore, para 2,5% até o final de 2024, nos últimos meses de mandato.

Educação, moradia e saúde são os focos do orçamento, que, como o presidente indicou, tem "uma profunda vocação para a sensibilidade social" e que "um de seus pilares fundamentais é a geração de emprego". O chefe de Estado reconheceu que, embora o orçamento deva ser quinquenal, pode haver variações na prestação de contas anual. "Estamos fazendo um orçamento no meio de uma pandemia. Esperamos conseguir gerar certos estímulos", afirmou.

O presidente uruguaio disse que não haverá cortes nos gastos com pesquisa, um dos aspectos mais enfatizados pelos especialistas na luta do país vizinho contra o vírus SARS-CoV-2.

A entrevista coletiva ocorreu horas após o encontro de Lacalle Pou na residência presidencial com seus ministros e legisladores dos partidos que compõem a coalizão governamental. O Orçamento será apresentado ao Parlamento na próxima segunda-feira para que os legisladores façam as mudanças necessárias e para sua aprovação final.