PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Reino Unido prevê queda de 11,3% no PIB em 2020, maior contração em 300 anos

25/11/2020 13h51

Londres, 25 nov (EFE).- O produto interno bruto (PIB) do Reino Unido cairá 11,3% em 2020 devido à pandemia de Covid-19, "a maior contração em mais de 300 anos", segundo previsões divulgadas nesta quarta-feira pelo ministro da Economia, Rishi Sunak.

Com base em estimativas do Escritório de Responsabilidade Orçamentária (OBR, na sigla em inglês), que monitora as finanças públicas, Sunak indicou que a economia crescerá 5,5% em 2021, 6,6% em 2022 e 2,3% em 2023, mas não atingirá o nível pré-crise até o final de 2022.

O ministro explicou o impacto do coronavírus ao apresentar na Câmara dos Comuns a chamada Revisão do Gasto, as prioridades orçamentárias para o ano fiscal 2021-2022, focando na luta contra o novo coronavírus e no Brexit.

Como complemento ao orçamento anual, previsto para março, a revisão visa estabelecer as bases da política econômica de cada governo durante o mandato, mas, desta vez, cobre apenas um ano fiscal devido ao atual contexto de incerteza.

Para combater a crise gerada pela pandemia, o governo terá se envididado neste ano em 394 bilhões de libras, 19% do PIB, a maior dívida orçamentária da história do país "em tempos de paz".

Sunak advertiu que o déficit anual permanecerá acima de 100 bilhões de libras para o restante da legislatura, que terminará em 2024.

O ministro disse aos parlamentares que, em 2020, o Estado terá investido 280 bilhões de libras no combate à Covid-19 - com ajuda para o emprego e o setor da saúde - e, em 2021, espera alocar pelo menos 55 bilhões a mais.

Entre as metas de gastos, garantiu que um aumento salarial será oferecido aos trabalhadores do Serviço Nacional de Saúde (NHS, na sigla em inglês), embora outros trabalhadores do setor público, como policiais e professores, terão os salários congelados no próximo ano.

Os investimentos em infraestrutura, destinados em parte a revitalizar as áreas mais carentes do norte da Inglaterra e que agora serão administrados por um novo banco, se situação ao redor de 100 bilhões de libras em 2021.

Quanto aos ministérios, o governo anunciou na quarta-feira passada que planeja aumentar em 16,5 bilhões de libras o orçamento da Defesa nos próximos quatro anos.